27 de setembro de 2021

Tudo o que você precisa saber para calcular aluguel

calcular aluguel

Você está precisando de ajuda para calcular aluguel? Então confira aqui as principais dicas para não errar nesse momento

Se você aluga ou já alugou uma casa ou apartamento, conhece muito bem o momento de vencimento do contrato e o reajuste do valor do aluguel. Ainda assim, se você estiver do lado do locatário ou do locador, conheça a melhor forma de como calcular aluguel de forma simples e fácil.

Antes de abordar o assunto de calcular aluguel, vamos falar as cinco principais dicas para quem está em busca de alugar um imóvel. Veja a seguir como não errar na escolha da residência ideal.

As melhores dicas para acertar na decisão de locação do imóvel

Casa ou apartamento: qual o ideal para alugar?

O primeiro passo para você não cometer um erro no momento de alugar um imóvel é planejar qual tipo de residência é perfeito para você: se é casa ou apartamento. É válido lembrar que, nessa questão, não há uma verdade absoluta. Isso porque a escolha vai depender de seus hábitos durante a rotina e de seus planos para a nova habitação. 

Morar em uma casa, assim como morar em um apartamento, possui suas vantagens e desvantagens. Por esse motivo, confira as principais características desses dois tipos de moradias.

– Morar em uma casa 

Quer viver uma vida tranquila, com uma vizinhança que não faz barulhos e estar em um terreno amplo e confortável para chamar de seu? Então morar em uma casa é perfeito para essa situação. 

O motivo é que esses imóveis oferecem mais privacidade e a produção de poucos ruídos aos seus moradores. A autonomia é outro aspecto relevante de morar em uma casa. Você consegue, por exemplo, realizar mudanças, receber animais de estimação e a escolha de definir os seus horários sem limitação.

Além disso, há outra vantagem: um menor custo mensal, visto que não abrange taxas de condomínio e custos com assistências. E se observar de outra perspectiva, como as desvantagens,  a preocupação é alta com a segurança.

– Morar em um apartamento

Os apartamentos também dispõem de vantagens interessantes. Em primeiro lugar está a segurança. Em geral, os condomínios apresentam um ótimo cuidado com  seus moradores. Já os empreendimentos que não tomam as devidas cautelas, irão, sem dúvidas, atingir negativamente a qualidade de vida dos que residem no local. 

Há, também, outro benefício relevante quanto ao convívio com diversos moradores. O espaço de um condomínio é destinado para o relacionamento entre os vizinhos, que podem realizar amizades e formar vínculos. Então, se você se considera com uma personalidade sociável, vai adorar morar em um apartamento, visto que é um local que pode aumentar suas relações com outros moradores.

Ainda assim, residir em um apartamento também possui suas desvantagens. Para os moradores, uma das principais é ter cuidado com as normas do condomínio. Mesmo que o residente não concorde com as regras, é obrigatório acatá-las para não pagar multas e para prezar a boa convivência com as outras pessoas. 

Isso sem falar que o morador precisa lembrar que, para morar em um apartamento, terá de custear do seu bolso as taxas de condomínio. Nesse momento, o residente tem que tomar cuidado e se planejar bem, já que esse pagamento pode significar um problema no orçamento mensal.

E aí, o que achou dos conselhos do Blog da Arbo sobre qual tipo de residência é ideal para você e para a sua família? Na prática, essa questão só poderá ser respondida por quem já vivenciou morar em uma casa ou em um apartamento. Aproveite para conferir esse artigo com mais dicas para não errar nesse momento importante.

Se você quer descobrir mais vantagens e desvantagens quanto à moradia em casas e em apartamentos, veja o vídeo a seguir produzido pelo canal Éramos Dois, na plataforma do YouTube. A publicação foi realizada em outubro de 2020 e fala sobre as diferenças entre morar nos dois tipos de propriedades. Confira!

Quais são suas prioridades?

Antes de saber como calcular aluguel, saiba quais são as suas prioridades. Se engana quem imagina que somente a questão financeira irá fazer a mudança no resultado da sua decisão. 

Para pensar no financeiro, é preciso ter um bom planejamento, já que sem ele não é viável pautar quais serão as suas escolhas e quais formam boas opções para o seu atual momento. Por exemplo, é ponderoso definir quais são os seus planos para os anos seguintes da sua vida.

Nesse tópico, você decide muito mais do que o tipo de residência que irá morar, se é casa ou apartamento. É interessante você planejar o tamanho ideal do imóvel para morar com bem-estar, a quantidade de quartos e, também, analisar a área de lazer ofertada e a localização da moradia. 

Alugar um imóvel novo ou usado?

Para essa pergunta, a resposta vai depender de algumas razões específicas. Descubra a seguir as características das moradias novas e usadas. 

– Imóvel usado

Uma das vantagens do imóvel usado é a sua relação com o valor. É viável alugar imóveis com uma extensão ampla e localizados em regiões com o custo de vida mais econômico.

Por outro lado, é bom lembrar que casas e apartamentos com mais de 10 anos podem gerar muitos gastos para você com manutenção e com limpeza. Para isso, já fique ciente de que, provavelmente, você terá que desembolsar verba para realizar algumas mini-reformas com a intenção de deixar a moradia da forma ideal para viver com comodidade e com bem-estar.

– Imóvel novo

Quando o assunto é sobre imóvel novo, saiba que você irá gastar um pouco mais no aluguel em relação ao imóvel usado. Esse tipo de moradia tende a ser muito mais valorizada daqui uns anos, visto que a sua estrutura é mais atual e pelo simples motivo de ainda não ter sido utilizado por outros moradores.

Que tal ajuda de um corretor de imóveis?

Antes de entender como calcular aluguel, saiba que contar com o auxílio de um ótimo corretor de imóveis é uma dica importante para quem deseja alugar uma casa ou um apartamento. 

Esse profissional está qualificado para te ajudar em transações imobiliárias, já que entende do mercado de imóveis e pode te amparar durante as suas escolhas de moradias. Aliás, o corretor de imóveis também pode facilitar o processo de locação com alguns macetes que só quem está trabalhando no ramo entende, o que serve até para os sistemas burocráticos mais complicados.

A vantagem de se ter um corretor de imóveis ao seu lado é que o profissional poderá tirar suas dúvidas sobre o processo de locação quando precisar. Além disso, você terá acesso a conselhos quando for tomar boas ou más decisões. 

Por esses e outros motivos que é válido lembrar que um ótimo corretor de imóveis pode te alertar de possíveis problemas e, sem dúvidas, o profissional irá te precaver de gastar as suas finanças em situações que se torne um transtorno no futuro.

Aliás, que tal conhecer o maior portal de imóveis do Brasil? O Portal da Arbo Imóveis possui milhares de propriedades em diversas cidades do país. Confira os melhores apartamentos e casas disponíveis para morar, tudo isso sem burocracias e com filtros de busca avançados. 

Já pensou na forma de pagamento?

Para calcular aluguel do seu próximo imóvel, é preciso antes planejar como será feito a forma de pagamento. Existem diversas formas de alugar uma casa ou um apartamento, o que irá depender será o contrato firmado entre o locador e o locatário. 

O principal objetivo é sempre realizar o pagamento em dinheiro à vista, porém sabemos que essa possibilidade não está acessível para todas as famílias. Por isso, caso essa opção não seja viável para o seu atual momento, busque outras alternativas de pagamento, como o financiamento imobiliário e o pagamento por cartões de crédito.

Quer saber mais informações sobre o que é o financiamento imobiliário, quais são as suas condições e os seus prazos de pagamento? Então entenda todos os pontos importantes dessa alternativa.

E se você quiser entender as principais vantagens e desvantagens de financiar um imóvel, basta visitar este artigo, que explica tudo sobre o procedimento, inclusive como esse sistema de crédito funciona e quais são os tipos de financiamento disponíveis no mercado atualmente.

Após ler as dicas apresentadas anteriormente, esperamos que você se sinta mais confiante para alugar uma casa ou um apartamento. Para descobrir outros excelentes conselhos sobre esse assunto, clique aqui para ter acesso ao artigo completo e cheio de informações importantes para você.

Você sabe como funciona a declaração?

Calcular-aluguel

Dependendo da situação, o locador e o locatário precisam declarar as despesas do aluguel na Receita Federal. Aliás, você entende como esse procedimento é realizado? Se a resposta for não, saiba tudo a seguir. 

As famílias que estão morando de aluguel ou são proprietárias de imóveis e recebem aluguéis de pessoas físicas, necessitam declarar essas dívidas em seus impostos de renda. 

O aluguel não é uma despesa dedutível, ou seja, não entra na base de cálculo do custo sobre o qual recairá o imposto e, assim, proporciona uma redução do total a quitar ou um acréscimo a restituição. Mesmo assim, é necessário ser declarado, porque a Receita Federal analisa os dados do locatário e do locador. Caso aconteça algum problema nos valores, é possível que a declaração esteja classificada na temida “malha fina”.

Quando o documento está identificado no setor da “malha fina” da Receita Federal, significa que o contribuinte pode sofrer punições, como pagar multa e até ser acusado por crime tributário. Você sabia dessas informações?

Para que essa situação não aconteça com você, as informações a seguir explicam, detalhadamente, como é realizado o processo de declaração do Imposto de Renda quanto aos valores dos aluguéis. Esse conteúdo é destinado especialmente para as pessoas que são locadoras e locatárias.

Afinal, o que é Imposto de Renda?

O Imposto de Renda é o tributo mais conhecido entre os brasileiros. Isso porque cada tributário, seja ele uma pessoa física ou uma pessoa jurídica, paga uma determinada porcentagem de sua renda ao governo. 

Entretanto, não são todas as pessoas que precisam fazer essa declaração de Imposto de Renda. Para ser do grupo obrigatório a realizar esse pagamento, é preciso se encaixar em um dos grupos citados a seguir:

  • Renda anual que excede a R$ 28.559,70 ou ganhos anuais que são superiores a R$ 40.000,00;
  • Ter frequentado alguma atividade rural com quantidade bruta recebida superior a R$ 142.798,50;
  • Adquiriu lucro de capital e operações em bolsa de valores; 
  • Conquistou o monopólio de propriedade na quantia total acima de R$ 300.000,00;
  • Passou à posição de morador no Brasil em qualquer mês e, nessa situação, se localizava até o último dia do ano antecedente.

A declaração é realizada, quase anualmente, do começo de março até o final de abril. Para isso, é preciso declarar todas as informações sobre o seu último ano, principalmente todos os seus ganhos e os seus gastos em serviço.

Ao longo dos anos, está muito mais prático e descomplicado para declarar a renda. Uma opção é realizar essa tarefa pelo site da Receita Federal, por meio do programa da Declaração do Imposto de Renda.

Quem tiver interesse nessa alternativa deve saber que é preciso somente realizar o download do programa e completar os campos e as áreas específicas com todos os seus dados. Assim, quando estiver no fim do procedimento, você irá formar um documento que significará a sua declaração de Imposto de Renda oficial.

Agora que você já entende o que é o Imposto de Renda, vamos apresentar as dicas para declarar o seu aluguel, tanto na situação do locatário, quanto do locador. Vamos lá?!

Para o locatário: como declarar os aluguéis pagos?

Se você mora de aluguel, é preciso somente incluir o custo total dos aluguéis já quitados na parte da declaração que informa os pagamentos efetuados. Fique atento para usar o código certo no momento de declarar: “70 – Aluguéis de Imóveis”.

É válido lembrar que é essencial somente declarar os aluguéis pagos. Não calcule junto outras taxas, como a do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) e a tarifa de condomínio. Para completar todos os campos necessários no momento da declaração, você irá precisar de alguns dados, como o nome e o CPF (Cadastro de Pessoa Física) do proprietário do imóvel. Esses dados também podem ser consultados no contrato da locação.

Não se esqueça que não são todos os moradores que precisam fazer a declaração dos aluguéis, mas somente a pessoa física que assinou o contrato como locatário. Embora haja apenas uma exceção, que é se mais de uma pessoa participar como incluída no acordo. Nessa situação, todos devem apresentar a mesma quantia dos aluguéis pagos durante o ano.

No entanto, se algum dos responsáveis pelo contrato não está mais morando na residência ou um novo inquilino passou a residir no imóvel, é indispensável retirar o nome do antigo locatário e integrar o do novo responsável.

E quem é uma pessoa física que possui propriedade de imóveis, porém reside de aluguel em outra propriedade, será preciso declarar as situações, de modo separado, no Imposto de Renda.

Calcular-aluguel

Para o proprietário: como declarar os aluguéis recebidos?

Na situação dos proprietários, o cenário muda por completo. O motivo é porque os aluguéis recebidos de propriedades são tributados já ao decorrer do ano. Isso significa que os locadores que ganharam mais de R$ 1.903,98 mensalmente, no ano anterior, precisam pagar um imposto por mês ao longo do ano. 

Esse programa é conhecido como “Carnê-Leão”, que é um recolhimento obrigatório, por mês, do Imposto de Renda. O sistema é realizado pelo contribuinte que obteve rendimentos quitados por pessoas físicas ou oriundos do exterior.

O programa “Carnê-Leão” é anual e pode ser baixado pelo site da Receita Federal. Por meio desse sistema, é feito o cálculo do seu imposto e considerando as alíquotas do IRPF (Imposto de Renda de Pessoa Física).

Por isso, antes de calcular aluguel, saiba que se você pagou corretamente as taxas do “Carnê-Leão”, será apenas preciso importar essas informações para o programa gerador da declaração que apresentamos antes. Nele, há uma parte que aponta os “Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior” e um ícone de “Importar Dados do Carnê-Leão”.

E não se esqueça que os aluguéis com valores menores que R$ 1.903,98 por mês estão dispensados dos impostos. Se essa situação for o seu caso, será necessário somente informar os custos, de modo direto, na declaração na parte em que fala sobre os “Rendimentos Tributáveis Recebidos de PF/Exterior”.

Para quem for o responsável pelo pagamento de tarifas como o IPTU ou cobranças dos condomínios, poderá diminuir o valor dessas despesas no custo do aluguel recebido. Sendo assim, é uma oportunidade que você tem de baixar o imposto que terá que custear no fim.

Aliás, saiba que é possível diminuir o gasto de corretagem, se por acaso você tiver acertado com uma  imobiliária para atuar como mediador sobre os processos da locação. Essas informações podem ser preenchidas no formulário de “Pagamentos Efetuados”, com o código “71 – Administrador de imóveis”. Não se esqueça de se informar acertadamente a respeito do valor total, conforme o nome e o CNPJ (Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica) da imobiliária que ficou como responsável.

E aí, você entendeu as informações sobre a declaração de aluguéis no Imposto de Renda? Esse conteúdo é muito importante para quem deseja aprender a calcular aluguel. Por isso, clique aqui para ver o artigo que explica tudo sobre esse assunto.

Caso ainda esteja um pouco confuso, separamos um vídeo para tentar te ajudar a deixar tudo ainda mais entendível. O registro foi produzido pelo canal Me Poupe!, apresentado pela Nathalia Arcuri e está disponível na plataforma do YouTube. 

O vídeo é especial para quem irá declarar os rendimentos pela primeira vez. Então, se você está com dúvidas e não sabe por onde começar, confira na íntegra a explicação do canal Me Poupe! a seguir:

E aí, o que achou do vídeo explicando tudo sobre Imposto de Renda? Deixe nos comentários a sua opinião sobre o que aprendeu com as dicas sobre o assunto apresentadas anteriormente. 

Afinal, como calcular aluguel do imóvel?

Para algumas pessoas, a locação de um imóvel é a melhor opção, visto que possibilita que o morador mantenha uma reserva financeira de emergência e é ideal para quem realiza mudanças com frequência. 

No momento de alugar uma casa ou um apartamento, é preciso conhecer muito bem o vencimento do contrato e o reajuste do valor do aluguel. No entanto, a grande dúvida é entender se esse ajuste está certo para ambos os lados. 

Pensando nisso, é importante que você saiba como calcular o valor do aluguel para a sua situação. É exatamente isso que o Blog da Arbo vai explicar nesse artigo. Descubra as principais informações sobre calcular aluguel de imóvel a seguir:

O que é preciso saber?

Em geral, para entender se o cálculo do valor do aluguel está justo em seu orçamento, é preciso que você esteja alerta sobre o custo e outros fatores como:

  • A taxa de condomínio;
  • O valor do IPTU;
  • As contas mensais fixas, como a de água, a de luz, a de gás e a da internet;
  • Os valores investidos no deslocamento.

Muitos especialistas dizem que, se você quer saber como calcular aluguel do imóvel, será preciso considerar todas essas despesas. Após somar todos os gastos financeiros que envolvem a moradia, o ideal é que o resultado simbolize até 30% da renda total dos que vivem na propriedade.

Entretanto, é preciso entender que o valor de um aluguel irá variar por diversos fatores, entre eles estão a localização em que está estabelecido, a infraestrutura disponível na região, a situação de conservação do apartamento ou da casa e a ligação entre a oferta e a procura do imóvel.

Lembre-se de que os imprevistos ocorrem a qualquer momento durante a nossa vida e a moradia não é uma circunstância negociável. Pelo contrário, a residência é primordial para o bem-estar e comodidade da família.

Calcular-aluguel

A locação de uma propriedade é, assim como a compra, realizada por meio da assinatura de um contrato. Então, tanto o locador quanto o locatário dispõe de direitos e deveres no que diz respeito à casa ou ao apartamento locado.

Para não se arrepender da decisão, é indicado analisar alguns aspectos relevantes antes de fechar o contrato. Pensando nisso, esse artigo irá te auxiliar com diversas dicas para você aprender a realizar uma excelente avaliação do imóvel. Confira!

Agora, que tal ter acesso a um passo a passo muito fácil e prático que te ajuda a calcular aluguel do seu imóvel? Veja se o cálculo é ou não é compatível com o orçamento financeiro da sua família.

1) Antes de tudo, some toda a renda particular. Não se esqueça de incluir os ganhos extras. Entretanto, fique atento ao verificar se essa quantia é permanente ou se ela se apresenta somente em algumas épocas do ano.

2) Nessa etapa, realize a divisão do valor do aluguel pelo total encontrado no tópico anterior.

3) Faça a multiplicação do resultado da divisão por 100. Dessa forma, você consegue obter o valor da renda como uma porcentagem da amostra inteira.

4) Por fim, é o momento de recordar da porcentagem mágica: 30%. Se a multiplicação tiver uma resposta menor ou igual a 30%, o cálculo do aluguel é perfeito para a sua moradia. Se o resultado for maior, então é melhor planejar em outras opções de imóveis para não prejudicar o seu bolso.

Agora que você já sabe como calcular aluguel do seu imóvel, confira esse artigo que explica com muitos detalhes sobre o assunto e, inclusive, apresenta tudo sobre os índices econômicos, que são indispensáveis para compreender como é realizado o cálculo. Veja também esse artigo que é especialmente para quem mora em apartamentos.

Entretanto, se você quer se planejar para os aumentos que possam acontecer no decorrer do contrato, temos um conteúdo que pode te ajudar. Para isso, clique aqui e tenha acesso a um artigo que te explica de forma rápida e descomplicada sobre possíveis aumentos no aluguel da sua casa ou do seu apartamento.

Calcular aluguel do imóvel nunca foi tão simples

Calcular-aluguel

Após conferir tudo sobre como calcular aluguel da casa ou do apartamento, você consegue se planejar melhor para essa nova etapa da sua vida. Deixe nos comentários a sua opinião sobre esse conteúdo e se o Blog da Arbo conseguiu te auxiliar em respeito ao cálculo de locação.

Aliás, veja também esse artigo com as principais dicas para realizar uma excelente verificação durante o procedimento de vistoria do imóvel. 

Para sanar as dúvidas do cotidiano, indicamos a Central de Ajuda da Arbo, que pode te auxiliar em várias pendências do cotidiano, como a emissão da segunda via de faturas, os melhores provedores de internet e a troca de titularidade de contas.

E para quem pretende mudar de casa ou apartamento, acesse o portal da Arbo Imóveis. Nele, você tem acesso a várias propriedades perfeitas para morar com qualidade de vida e bem-estar. Isso sem falar na facilidade que é para realizar buscas pelo site e os benefícios que a Arbo oferece. Visite agora mesmo!

Postagens relacionadas

Casa-e-decoração

Casa e decoração: 7 dicas para mudar os cômodos

Quando o assunto é casa e decoração, é preciso ter um pouco de criatividade para mudar os ambientes. Como nem sempre essa é uma tarefa fácil, separamos 7 dicas simples para você neste texto  Mudar os cômodos da sua casa, nem sempre precisa ser algo caro e nem complicado. É possível aliar simplicidade e elegância […]

funil de vendas em y na imobiliária

Funil de vendas em Y: como unir marketing e vendas?

O funil de vendas em Y representa a união dos departamentos de vendas e de marketing. Nessa metodologia, é possível estabelecer uma relação direta entre os leads e os resultados financeiros obtidos pela empresa Você com certeza já deve ter se deparado com o funil de vendas tradicional. Também chamada de pipeline, essa ferramenta visual […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *