15 de maio de 2022

Como comprar a casa própria: confira o passo a passo

comprar a casa própria

Está pensando em comprar a casa própria? Veja como se preparar para esse momento e lidar com toda a parte burocrática de um jeito mais fácil!

Comprar a casa própria é o grande sonho de muita gente. O novo imóvel é a representação de uma nova fase, seja para quem vai morar sozinho, para quem vai se casar ou para aqueles que estão vendo a família crescer. Por isso, este post do Blog da Arbo traz um passo a passo sobre os procedimentos para adquirir um imóvel.

Você verá que a jornada deve começar com um planejamento financeiro eficiente para evitar dor de cabeça no futuro. Além disso, conhecerá as principais formas de pagamento e verá que é possível procurar o imóvel ideal e lidar com toda a parte burocrática pela internet. Confira!

1º passo: Fazer um planejamento financeiro

Comprar a casa própria exige um bom plano financeiro no longo prazo. Por isso, comece estabelecendo metas realistas. É importante formar uma reserva de emergência antes mesmo de começar a economizar para o apartamento. 

O ideal é conseguir arrecadar dinheiro suficiente para pagar as suas contas por ao menos seis meses. Isso pode até parecer impossível para a maioria de nós. Mas, parando para pensar, você verá que basta começar, mesmo que seja com pouco. Com o tempo, você perceberá os resultados e se sentirá mais incentivado a economizar.

Uma atitude extremamente simples e que ajuda demais é ter uma planilha para registrar todos os seus gastos Isso permite que você compare as receitas e despesas mês a mês, proporcionando maior controle sobre o dinheiro que passa pelas suas mãos. É bem provável que você identifique certas coisas que são só desperdício de recursos.

Hoje em dia nós assinamos tantos serviços que parecem muito baratos, mas não pensamos no custo deles ao longo de um ano, por exemplo. Uma situação com a qual muita gente se identifica é o uso de serviços de streaming. Nós somos incentivados a ter assinaturas de vários deles ao mesmo tempo, porque o custo individual é realmente baixo.

Mas será que a quantidade de conteúdo que você consome neles justifica a manutenção da assinatura? Ou você tem tanta coisa para assistir que nem consegue ver tudo? Será que vale a pena continuar com um serviço que você mal acessa?

São esses pequenos gastos do dia a dia que acabam pesando no fim do mês..Isso não quer dizer que você deva abandonar tudo que gosta. Mas é interessante analisar até que ponto essas coisas realmente valem o custo que tem e criar estratégias para usar seu dinheiro de forma mais inteligente.

2º passo: Escolher a forma de pagamento

financiamento imobiliário

Um dos principais dilemas de quem vai comprar a casa própria é sobre as formas de pagamento. Neste tópico, vamos abordar os métodos mais comuns: consórcio e financiamento.

Consórcio

Entrar em um consórcio significa participar de um grupo com outras pessoas que também querem comprar a casa própria. Assim, cada um paga uma contribuição mensal para que todos os integrantes recebam cartas de crédito no valor do bem desejado.

A ordem de recebimento é definida por sorteios realizados em assembleias mensais. Caso você consiga juntar algum dinheiro enquanto paga as parcelas, é possível dar um lance, ou seja um adiantamento das parcelas restantes. Quanto maior o maior lance oferecido durante a assembleia, mais chances você terá de ser contemplado.

Os prazos costumam variar entre 10 e 15 anos, mas cada administradora tem suas próprias regras. Uma das principais vantagens do consórcio é que não é que ele não tem entrada. 

As parcelas de um consórcio são compostas por quatro itens:

  • Fundo comum: valor com que o consorciado contribui para a compra do imóvel. É a partir dele que a administradora compõe o valor das cartas de crédito entregues aos contemplados. 
  • Fundo de reserva: é um valor adicional que a administradora guarda para lidar com possíveis imprevistos, como um caso de inadimplência entre os consorciados. Na maioria dos consórcios, o fundo de reserva equivale a 2% do valor da carta de crédito. 
  • Seguro: muitas administradoras também oferecem um seguro de consórcio. O propósito é que ele cubra o valor do crédito contratado em situações como morte do consorciado ou invalidez permanente, por exemplo. A taxa do seguro costuma representar cerca de 0,2% do valor de cada parcela. 
  • Taxa de administração: valor que a administradora cobra pelos serviços de gerenciamento do grupo de consorciados. Normalmente, a taxa de administração é mais baixa que o valor do fundo comum e, assim como os demais itens, fica diluída entre as parcelas.

Financiamento

O financiamento é uma espécie de empréstimo em que o valor a ser pago é dividido em várias parcelas mensais. Quando fazemos um financiamento, o próprio banco é quem paga o valor do imóvel a quem está vendendo. Depois, ele espera que o cliente devolva esse valor acompanhado de juros. 

Por conta do risco que vai assumir na operação, os bancos definem algumas regras antes de liberar o crédito. É comum a exigência de um valor como entrada, que dá mais flexibilidade ao cliente quanto à quantidade e ao valor das parcelas.

Os financiamentos também têm outras taxas que compõem o chamado CET (Custo Efetivo Total) da transação. Em certos casos, elas fazem com que o valor a pagar seja muito mais alto que o preço original do imóvel, por isso, é importante comparar propostas de vários bancos em busca do CET mais baixo.

O Arbo Cred, um dos produtos da Arbo Imóveis, ajuda você nessa tarefa. Ele permite comparar as propostas de várias instituições de uma vez só para garantir a melhor escolha.

As taxas vistas com maior frequência em um financiamento são:

  • Imposto sobre operações financeiras (IOF): taxa obrigatória para pessoas físicas e jurídicas em qualquer operação financeira.
  • Taxa de Abertura de Crédito (TAC): não é obrigatória, mas muitos bancos a cobram para bancar custos com procedimentos como a análise de crédito.
  • Seguros: algumas instituições financeiras incluem taxas de seguros em seus contratos para cobrir os pagamentos em caso de morte ou desemprego do titular.
  • Taxas administrativas: englobam todo tipo de custo relacionado à manutenção de cadastro por parte do banco.

Consórcio ou financiamento: qual é melhor?

Dadas as características, podemos dizer que o consórcio é mais interessante para quem não tem pressa. Mesmo que você tenha alguma dívida em seu nome, pode contratar o consórcio e regularizar sua situação enquanto não é contemplado, Nesse caso, você só precisa ter certeza de que conseguirá arcar com o valor das parcelas. 

No caso do financiamento, a vantagem é que você pode obter o imóvel assim que o crédito for aprovado. Entretanto, para tornar todo o processo mais fácil e mais barato, é bom ter um bom valor para dar de entrada. Isso reduzirá até os juros cobrados pela operação. 

3º passo: Procurar imóveis de interesse

É possível que você já tenha em mente alguns bairros nos quais gostaria de morar. A partir dessa informação, inicie uma pesquisa dos imóveis disponíveis nessas regiões e aproveite para imaginar como seria morar nelas. 

Você pode considerar aspectos como a proximidade do local de trabalho e o nível de segurança no local. Também é interessante verificar se ele tem uma boa infraestrutura para sua família, com escolas, supermercados, hospitais e locais de lazer por perto.

Obviamente, também é bom definir o que você espera do próprio imóvel. De quantos quartos você precisa? É necessário ter uma garagem grande? Pense nisso tudo com antecedência para ter a melhor experiência após comprar a casa própria.  

Na hora de pesquisar os preços e as características do seu novo lar, aproveite para dar uma olhada no portal Arbo Imóveis. Ele tem um sistema de busca completo que ajuda o usuário a encontrar o imóvel que mais se encaixa em suas expectativas. 

Além de indicar o tipo de imóvel, você pode realizar a pesquisa pelo nome da cidade, do bairro ou da rua. Em seguida, é só usar os filtros para mostrar apenas as opções com as características exatas, como limite de preço, tamanho, número de quartos, banheiros e vagas na garagem.

Outra funcionalidade muito útil é a busca por bairros, que permite explorar regiões específicas e saber todo tipo de informação sobre elas, como os pontos comerciais de destaque, bares e restaurantes, escolas e mobilidade urbana. Com isso, você conhece tudo sobre o local antes mesmo de ir até lá presencialmente.

Depois de encontrar o lugar ideal e saber todos os detalhes sobre ele, você ainda pode iniciar as negociações com o vendedor sem sair de casa. É possível cadastrar seu e-mail e telefone para que ele entre em contato, agendar uma visita ao imóvel ou fazer uma proposta. 

4º passo: Organizar a documentação

documentos para comprar casa

A última etapa do processo para comprar a casa própria é juntar a documentação necessária. A quantidade de documentos depende da forma de pagamento escolhida e do próprio perfil do comprador.

Documentação do comprador

Para começar, vamos falar sobre os documentos que serão exigidos de quem vai comprar a casa própria. Eles serão exigidos pela instituição na hora do consórcio ou do financiamento e também para a formulação do contrato de compra e venda.

  • RG e CPF;
  • comprovante de endereço;
  • comprovante de residência;
  • comprovante de estado civil;
  • comprovante de renda;

Documentação do vendedor

O vendedor também deve apresentar certos documentos para que a venda seja considerada lícita, evitando casos de fraude. Se o vendedor for pessoa física, a lista é a seguinte:

  • RG e CPF;
  • comprovante de estado civil;
  • certidão negativa de protestos;
  • certidão negativa judicial;
  • certidão negativa de tributos
  • certidão negativa de interdição, tutela ou curatela.

Já para os vendedores pessoa jurídica, os documentos exigidos são:

  • contrato ou estatuto social registrado na Junta Comercial;
  • alterações no contrato ou estatuto social;
  • certidões negativas da pessoa jurídica.

Documentação do imóvel

Também existe uma lista de documentos relativos ao imóvel para garantir que nada impede sua venda. São os seguintes:

  • matrícula atualizada do imóvel e certidão de ônus reais;
  • escritura em nome do vendedor;
  • certidão de logradouro da prefeitura;
  • certidão negativa de débitos municipais;
  • Habite-se (documento que garante as condições de habitabilidade do local);
  • planta baixa;
  • registro de ações reipersecutórias e alienações;
  • declaração de quitação de taxas condominiais.

Contrato de compra e venda

Com toda a documentação reunida, chega o momento de formular o contrato de compra e venda. Nesse momento, é fundamental contar com a ajuda de uma imobiliária confiável. Além de identificar as partes envolvidas, o documento deve informar o valor da transação, o método de pagamento e os detalhes do imóvel negociado.

Na Arbo Imóveis. todo esse trâmite burocrático é feito online, incluindo a assinatura de contrato digital. Essa é uma maneira de deixar todo o processo mais ágil e facilitar a vida de quem compra e de quem vende. 

E aí, vai comprar a casa própria?

Gostou do conteúdo? Agora que você já sabe como comprar a casa própria, que tal encontrar seu novo lar no Portal Arbo? Use nosso sistema de busca e encontre as melhores opções em centenas de cidades.

Postagens relacionadas

telhado-fotovoltaico

Telhado fotovoltaico: o que é e como utilizar?

Mais comum em imóveis comerciais e industriais, o telhado fotovoltaico é uma aposta para a tecnologia do futuro em residências também!  Ele tem um preço competitivo se comparado a outras alternativas, e contribui para a geração de energia limpa, e por esse motivo o material vem ganhando cada vez mais espaço em várias regiões do […]

Planejamento financeiro: como consórcio pode ajudar

Se você vai comprar um imóvel ou outro bem de valor alto, precisa de um bom planejamento financeiro. Por isso, precisa conhecer as vantagens do consórcio Conseguir elaborar um planejamento financeiro é o primeiro passo para mudar a situação das suas finanças e acabar de vez com a dor de cabeça causada pela instabilidade financeira.  […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *