16 de maio de 2022

Quais as obrigações do porteiro de condomínio?

porteiro de condomínio

Quer saber mais sobre as atividades de um porteiro de condomínio? Veja tudo que você precisa saber sobre essa profissão neste artigo!

O bom funcionamento de um condomínio depende de vários profissionais com atribuições bastante específicas e bem importantes. O porteiro de condomínio, por exemplo, exerce um papel indispensável para a segurança do local, prevenindo riscos relacionados à presença de pessoas estranhas dentro da área privada e em seus arredores.

Neste artigo do Blog da Arbo, vamos dar uma atenção especial a essa função tão importante. Você conhecerá melhor as atribuições de um porteiro, verá como os moradores e demais funcionários podem contribuir com seu trabalho e ainda conhecerá algumas maneiras de garantir que ele execute suas tarefas de forma eficiente. 

Quais são as principais funções do porteiro de condomínio?

O porteiro de condomínio tem algumas atribuições básicas que são essenciais para que o condomínio funcione bem. Elas estão relacionadas tanto às normas de segurança quanto às regras que garantem a boa convivência entre os moradores. Entre as funções de maior destaque deste profissional, podemos citar as seguintes:

Controle de acesso ao condomínio

O porteiro precisa se comunicar com os moradores pelo interfone para informar sobre a chegada de um visitante e autorizar sua entrada. Por questões de segurança, é recomendável que ele sempre fique dentro da portaria e se comunique com os visitantes por meio do porteiro eletrônico.

Se houver qualquer dúvida sobre a identidade do visitante, o porteiro precisa solicitar que o morador vá pessoalmente recebê-lo. Mesmo para visitantes recorrentes, o mais seguro é sempre confirmar a autorização do morador antes de permitir o acesso.

Recebimento de encomendas

Com o aumento na utilização de aplicativos de delivery, também há a necessidade de reforçar os cuidados com o recebimento de encomendas para que isso não gere vulnerabilidades para a segurança no condomínio. Por isso, o correto é que o porteiro peça ao morador que receba a encomenda na portaria, sem permitir a entrada do entregador.

A exceção é para situações em que o morador não está em casa. Nesse caso, o porteiro pode receber o volume e assinar o recibo de entrega. O que não muda é a orientação para que o entregador não entre no condomínio.

Atendimento a prestadores de serviço

Há situações em que um prestador de serviço precisa entrar no local para executar seu trabalho. É o caso de instaladores de TV a cabo e internet, por exemplo. Nessas ocasiões, o porteiro do condomínio precisa ter certeza de que o serviço foi solicitado pelo morador ou pela zeladoria.

Para garantir, o porteiro pode ligar para a empresa responsável pelo serviço para confirmar se a pessoa que se apresentou na portaria é mesmo o funcionário encarregado. As mesmas normas se aplicam para funcionários de empresas de água, luz e gás. Antes que o funcionário entre, o porteiro deve realizar um registro com seu nome completo e outros dados dele. 

Caso haja alguma obra em andamento no condomínio, apenas funcionários devidamente autorizados pela empresa responsável podem entrar. Se algum deles for substituído, essa empresa deve informar ao próprio porteiro, ao zelador e ao síndico. 

Relacionamento com os moradores

Evidentemente, o porteiro deve buscar sempre uma comunicação respeitosa e cordial com os moradores do condomínio. Além disso, é necessário contribuir para que todas as normas e regulamentos internos sejam seguidos. Por isso, deve existir interação constante com zeladores e síndicos. 

A postura profissional faz toda a diferença, portanto, o porteiro deve evitar conversas demoradas com outros funcionários na portaria e em áreas comuns. Também é importante evitar comentários sobre o dia a dia do condomínio fora do local de trabalho.

Como um porteiro de condomínio deve trabalhar?

Para executar seu trabalho com a máxima eficácia, o porteiro deve se atentar a algumas recomendações:

  • Fazer com que as regras de segurança sejam cumpridas à risca, sem abertura para exceções;
  • Fazer qualquer abordagem de forma educada;
  • Exigir identificação de qualquer pessoa que queira entrar no condomínio;
  • Prestar atenção às movimentações na área externa, observando o que acontece nos arredores do condomínio;
  • Se algum erro for detectado, é fundamental falar sobre ele para evitar que ocorra novamente;
  • Usar os portões de segurança de acordo com as normas do condomínio.

Como garantir boas condições de trabalho para o porteiro?

câmera para portaria de condomínio

Para que o porteiro de condomínio consiga executar suas funções adequadamente, também é necessária a colaboração dos próprios moradores e de outros funcionários do local. Todos precisam conhecer bem as normas de segurança e a importância delas para o bem-estar geral. 

Os moradores devem evitar solicitar ao porteiro certas tarefas que não fazem parte de suas funções, como carregar sacolas de compras, cuidar das crianças, manobrar carros na garagem. Da mesma forma, o porteiro não pode atender pedidos para sempre liberar a entrada de certo visitante ou guardar as chaves do imóvel ou de um carro na portaria.

O condomínio também deve fornecer uma boa infraestrutura. A portaria deve ter um telefone, ser bem ventilada e blindada. Também é interessante ter uma lista com contatos para situações de emergência, como bombeiros, polícia e ambulância, além dos números das empresas responsáveis por equipamentos como elevadores.

Qual é a diferença entre porteiro e zelador?

Muita gente se confunde e acaba cobrando do porteiro de condomínio certas funções que, na verdade, pertencem ao zelador. Como o porteiro não pode deixar a guarita vazia, a responsabilidade pela limpeza das áreas comuns e pela execução de pequenos reparos, como trocar uma lâmpada, não pode ser atribuída a ele. Obviamente, o porteiro pode e deve ajudar a entrada e a saída de pessoas com dificuldades de locomoção ou levar uma sacola até o elevador – desde que seja rápido. 

As atribuições de um zelador são diferentes. Basicamente, é ele quem deve assegurar o bom andamento das tarefas rotineiras do condomínio e garantir que qualquer problema em em sua estrutura seja resolvido.

Geralmente, o zelador tem uma lista de tarefas que devem ser feitas diariamente ou semanalmente. Ela inclui inspeções em diversos elementos do condomínio, como iluminação, rede elétrica, rede hidráulica, portões, piscinas, jardins, etc. Se algum problema for detectado, é ele quem toma as providências para que a manutenção seja feita.

Quais são os procedimentos básicos de segurança no condomínio?

Para começar, é indispensável ter um documento que descreva em detalhes os cargos e responsabilidades de cada funcionário da equipe de segurança. Também devem existir normas sobre o controle de acesso na portaria, as formas de utilizar os equipamentos de segurança e toda a orientação sobre como atuar caso haja algum problema. 

É necessário incluir instruções claras para que cada um saiba como agir quando um alarme for disparado, por exemplo. Com regras bem definidas, já é possível treinar os funcionários para que todos conheçam muito bem os procedimentos e sejam capazes de executá-los sem dificuldades quando necessário.

Cabe aos síndicos e administradores executar tarefas mais amplas, como criar um cronograma de reuniões de orientação para os moradores e funcionários. Esses encontros devem ser recorrentes para assegurar que todos conheçam bem as práticas recomendadas. Eles também devem  manter um registro com dados de identificação dos moradores e seus veículos.

Para assegurar níveis mais altos de segurança no condomínio, é essencial que haja algum investimento em soluções tecnológicas de apoio, as quais tornam o serviço da equipe de segurança mais efetivo. Pensando nos custos, é bem fácil constatar que negligenciar esse tipo de cuidado pode sair bem mais caro que um sistema sofisticado.

Receba nossos novos conteúdos por e-mail!


Cadastre-se na newsletter semanal do Blog da Arbo, com tudo que você quer saber sobre imóveis. É grátis!

Para condomínios menores, até mesmo os sistemas de segurança mais simples podem trazer resultados altamente satisfatórios. Instalar câmeras de segurança e investir em uma boa iluminação, por exemplo, já ajuda bastante.

Esquemas mais sofisticados podem lançar mão de softwares específicos para gestão de condomínios. Além de fortalecer a segurança no condomínio, eles aprimoram as linhas de comunicação com os moradores com ferramentas online e podem melhorar o controle de entrada e saída de visitantes.

Agora que você sabe tudo sobre as funções de um porteiro de condomínio e vários outros aspectos que o ajudam a cumpri-las corretamente, que tal continuar aprendendo sobre como funciona um condomínio? Continue no Blog da Arbo e saiba tudo sobre o que faz e quanto ganha um síndico.

Postagens relacionadas

Primeiro imóvel: confira dicas para não errar na compra

A aquisição do primeiro imóvel é um verdadeiro sonho realizado. Contudo, para que a escolha seja acertada, é necessário prestar atenção em alguns pontos Comprar o primeiro imóvel é um grande passo na vida de muitos brasileiros. Para alguns, é a verdadeira realização do sonho da casa própria. E não é para menos: adquirir uma […]

Regras do condomínio

Regras do condomínio: o que você deve saber?

Todos os condomínios tem algumas regras que os moradores devem saber para manter a boa convivência com os demais.  Cada vez mais pessoas moram em condomínios no Brasil. Isso porque esse tipo de habitação tem virado sinônimo de mais segurança, qualidade de vida e economia quando o assunto é moradia. Mas, claro que, por ser […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *