18 de outubro de 2021

Saiba tudo sobre a taxa de mudança

taxa-de-mudança

Se você está se mudando para um prédio, é essencial saber as principais questões para tudo sair conforme planejado. Por isso, fique atento com a taxa de mudança dos condomínios!

Em alguma mudança para um condomínio, você já deve ter percebido a cobrança de uma taxa para fazer todo o processo da mudança. Essa taxa causa polêmica entre os moradores, inclusive por não saberem nada sobre e, muitas vezes, serem pegos de surpresa quando a conta chega. 

Para desmistificar o assunto e trazer informações para você sobre a taxa de mudança, nós da Arbo decidimos trazer esse conteúdo! Aqui você vai entender se essa taxa pode ou não ser cobrada, para que ela serve e em quais situações ela pode ser aplicada para o inquilino que está de mudança. Fique com a gente e acompanhe a leitura!

O que é a taxa de mudança?

A taxa de mudança é uma taxa que diz respeito à entrada de novos moradores em prédios, tanto residenciais quanto comerciais. Essa taxa pode ser cobrada na entrada do novo morador, como também na saída do mesmo. Muitos edifícios têm suas próprias regras, o que acaba gerando muita confusão entre as pessoas. 

Se você já fez uma mudança em um edifício sabe que as coisas podem se complicar por falta de espaço, já que cada prédio é singular e diferente um do outro. Assim, se ocorrer algum incidente nas áreas comuns ou elevadores, a taxa de mudança poderia cobrir sem nenhum adicional.

Existem prédios que cobram a taxa de mudança apenas na entrada de um novo morador no condomínio, sendo que ela é cobrada junto ao valor do primeiro condomínio. Ou seja, as cotas condominiais vêm acrescidas do valor da taxa de mudança. Isso causa muita irritação nas pessoas desavisadas que se deparam com um valor, muitas vezes abusivo, cobrado pelo condomínio. 

Além disso, esse valor pode ser cobrado também na saída do morador do edifício e, muitas vezes, também gera irritação por parte dos ex-moradores, que terão que arcar com mais um gasto em relação à mudança. O valor e a obrigatoriedade dessa taxa na entrada e na saída de um morador vai depender exclusivamente do condomínio em que ele mora, sendo que, como já dissemos, cada prédio tem suas particularidades. 

Para que serve a taxa de mudança?

Essa taxa serve basicamente para cobrir um eventual incidente no condomínio, causado justamente pela entrada ou saída de um morador. Isso porque em uma mudança, muitos móveis grandes e pesados são descarregados, e com certeza podem ocorrer pequenos incidentes como riscos, amassados e danos às dependências comuns nos condomínios. 

Além disso, a taxa condominial pode ser usada para a reserva de um dos elevadores para a mudança ser feito com sucesso. Geralmente algum funcionário do condomínio forra o elevador com uma manta grossa para que não ocorra nenhum dano como riscos ou amassados no mesmo. Além disso, esse elevador fica reservado apenas para isso até a mudança acabar, sendo que ninguém mais no prédio consegue pedi-lo em seu andar. 

Outro ponto que a taxa do condomínio cobre é justamente a disponibilidade do funcionário em monitorar a mudança, ou seja, prestar um serviço além de sua função. Sendo que ele também vai ajeitar a papelada de entrada do novo morador e solicitar também uma ficha cadastral, coletando os dados de todos os novos inquilinos que estão se mudando para o prédio, bem como seus telefones de contato. 

A mudança, na grande maioria dos prédios, é feita através da garagem. Assim, pode ser reservada uma vaga de garagem  para que os móveis possam ser depositados nela enquanto outros profissionais da mudança levam para o apartamento dos novos moradores. Esse valor da vaga de garagem também está incluso na taxa de mudança.

Por fim, a limpeza da garagem, do elevador e das demais áreas comuns em que a mudança foi feita é paga através da taxa de mudança. Dessa forma, é garantido que haverá a limpeza nos locais onde a mudança foi feita, que em quase todos os casos deixa algum tipo de sujeira. Basicamente essa taxa é cobrada porque altera a rotina do condomínio e cobre eventuais despesas. 

Agora que você descobriu o que é essa taxa e para que ela serve, vamos falar se ela pode ou não ser cobrada. Isso é motivo de polêmica nos diversos condomínios afora, já que, muitas vezes, a cobrança é um valor que o inquilino de mudança não esperaria adicionar nos gastos de sua mudança. Além disso, muitos acham abusivo uma cobrança no momento da saída do condomínio.

Mas afinal, a taxa de mudança é juridicamente legal? A resposta para essa pergunta é motivo de confusão. No Código Civil, mais precisamente nos artigos 186 e 927, a taxa de mudança tem natureza jurídica indenizatória já que ela é utilizada para cobrir gastos referente à uma eventual mudança de um inquilino. 

Assim, essa taxa pode ser contestada, entretanto é importante sempre levar em consideração o regime interno de cada condomínio. Se em um condomínio, a taxa de mudança foi aprovada por uma assembleia e ela está presente nas regras do mesmo, ela é legal e deve ser cumprida.

Dessa forma, preste muita atenção no regimento interno de um condomínio quando você adentrar em um edifício novo. Inclusive, preste atenção se você irá ou não precisar pagar a taxa de mudança na hora da saída do edifício. Assim como os valores da taxa de mudança, a obrigatoriedade de pagar na saída da mudança é muito volátil e varia de condomínio para condomínio. 

Se você quiser saber mais sobre a taxa de mudança, assista ao vídeo Regras para mudança em condomínio disponível no canal TudoCondo, no YouTube:

Veja algumas dicas de mudança!

Agora que você descobriu tudo sobre a taxa de mudança de um condomínio, vamos te dar algumas dicas para que a mudança seja feita da melhor forma possível! Acompanhe!

Planejamento

Primeiro de tudo você deve ter em mente um planejamento, que envolva tanto aspectos econômicos quanto de logística. Em relação ao planejamento financeiro, seja bem transparente consigo mesmo. Coloque todos os seus gastos no papel, bem como todas as suas formas de renda. Assim, separe uma parte do valor que você ganha para evitar prejuízos durante a mudança. Você também pode ter uma reserva de emergência de cerca de 6 meses de salário.

Outra forma de planejamento é você se precaver de todos os fatores que dizem respeito à mudança em si. Horários de saída e chegada, empresa que irá fazer a mudança, documentação do veículo para mudança, itinerário do transporte de mudança e, por fim, os cuidados em relação ao empacotamento de seus móveis. 

Categorizando as caixas

Você pode categorizar todas as caixas que irão para mudança, pois assim, tudo ficará mais fácil na hora em que você estiver organizando seu novo lar. Categorize as caixas a partir dos cômodos de sua casa, ou seja, separe caixas para a cozinha e em uma etiqueta escreva: “Cozinha: panelas”, pois assim, você poderá ter um controle maior de suas coisas.

Além disso, lembre-se de utilizar os materiais corretos para empacotar vidros e outros objetos frágeis. Nós temos um artigo no blog que pode te ajudar a descobrir os melhores materiais para o empacotamento de sua mudança!

Desapegue de alguns itens

Em uma mudança nós temos contato com diversos objetos em nossa casa, muitos deles percebemos que só existiam no momento da mudança. Geralmente é tudo aquilo no fundo do armário que você não utiliza de forma alguma;

O que você acha de, antes de sua mudança, fazer uma coleta de todos esses objetos, roupas e outros utensílios e promover um bazar, ou até mesmo fazer uma doação. O fato de você se desapegar de algumas coisas pode fazer com que a mudança seja mais fácil, além disso, você também pode adotar um estilo de decoração minimalista em sua nova casa!

Desempacotamento das caixas

Quando você já estiver em seu novo apartamento, não se esqueça de fazer uma limpeza profunda antes de desempacotar as caixas da mudança. Você pode começar a abrir as caixas que contenham seus itens indispensáveis como escovas de dentes, utensílios pessoais e alguns tipos de comida. 

Faça o desempacotamento por cômodos, começando pela cozinha, que geralmente é um cômodo separado e pode ficar mais fácil para a locomoção das caixas. Depois, pode seguir para os outros locais do seu apartamento, lembrando de sempre levar as caixas com os utensílios correspondentes para cada cômodo. 

E aí, o que você achou deste conteúdo?

É muito importante você conhecer todas as taxas envolvidas em seu processo de mudança, pois assim você pode se planejar melhor! Nos conte o que você achou desse conteúdo nos comentários logo abaixo!

Lembre-se que cada condomínio terá uma taxa diferente, bem como regras diferentes, por isso, é muito importante que você fique atento ao regimento interno do condomínio. Assim, sua mudança pode ser feita sem dor de cabeça!

Postagens relacionadas

primeira-casa

O que você deve saber para comprar a primeira casa

Investir em um imóvel é um passo importante na vida de muitos brasileiros. Por isso, antes de comprar uma casa, é necessário estar atento a todas as informações da negociação e do mercado Se você deseja investir em um imóvel e decidiu que está na hora de comprar sua primeira casa, precisa se preparar para […]

Automação de casas: o que é e quais suas vantagens

A tecnologia está presente não só nas grandes empresas, mas também nas residências. A automação de casas já é uma realidade e você precisa conhecê-la O conceito de automação de casas, embora tenha se tornado popular apenas nos últimos anos, surgiu na década de 1970, quando os primeiros sistemas de controle automatizados foram criados nos […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *