12 de maio de 2022

Como se tornar corretor de imóveis? 6 coisas que você precisa saber

como se tornar corretor de imóveis

O que o corretor faz? Quanto ganha? Como é o mercado de trabalho? Como se tornar corretor de imóveis? Respondemos essas e outras questões.

A carreira de corretor de imóveis é desafiadora, mas também é recompensadora. E a recompensa não é só financeira. Ajudar pessoas a realizar o sonho de um novo lar é uma atividade nobre. Neste post do Blog da Arbo, reunimos cinco questões frequentes de quem quer saber como se tornar corretor de imóveis.

  1. O que faz um corretor de imóveis?
  2. Como é o mercado de trabalho para o corretor de imóveis?
  3. Quanto ganha um corretor de imóveis?
  4. O que é necessário para ser corretor de imóveis?
  5. Como é o curso de corretor de imóveis?
  6. Por que investir na carreira?

1. O que faz um corretor de imóveis?

O corretor de imóveis é o profissional que atua na intermediação de negociações de compra, venda, locação ou troca de imóveis residenciais e comerciais. Seu papel é orientar o cliente ao longo do processo. Suas principais atividades incluem: 

Intermediar a negociação

A principal função de um corretor de imóveis no exercício de sua profissão é intermediar a negociação entre o proprietário e o comprador ou entre o proprietário e o locatário. 

Nesse processo, o profissional precisa estar atento às condições apresentadas pelo dono do imóvel, uma vez que deve sempre prezar pelo que atende às necessidades e às preferências do comprador ou do locatário. 

Informar o comprador

Durante o processo de compra ou de locação de uma casa ou de um apartamento, o corretor de imóveis é responsável por informar e por responder todas as questões levantadas pelo comprador ou pelo locatário.

Desse modo, o corretor deve conhecer o imóvel, para que possa transmitir todas as informações necessárias ao seu cliente. Nesse aspecto, o profissional deve ser capaz de sanar dúvidas sobre a condição da casa ou do apartamento, sobre a localização, entre outros pontos.

Auxiliar com a documentação

Auxiliar com a documentação é uma das funções mais importantes do corretor de imóveis. Isso porque essa parte costuma ser a mais complexa para o comprador ou para o locatário, que precisa de suporte.

Assim, o profissional precisa explicar ao seu cliente como funcionam os trâmites burocráticos, bem como quais são os documentos necessários para a concretização da negociação de compra ou de locação.

2. Como é o mercado de trabalho para o corretor de imóveis?

Boa parte dos corretores trabalha como profissional autônomo e tem seu próprio CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica). Contudo, também é possível trabalhar como contratado de uma imobiliária no regime CLT. De qualquer forma, a maior parte dos ganhos de um corretor de imóveis vem das comissões dos negócios que ele intermedia.

A contratação com carteira assinada implica algumas alterações na comissão, que passa a ser dividida com a imobiliária. A divisão costuma ser algo em torno de 40% para o corretor e 60% para a empresa. Isso pode parecer uma desvantagem em um primeiro olhar, mas é importante considerar que o corretor se livra de certas despesas que o profissional liberal tem.

O gasto com telefone, internet e transporte pode pesar bastante no bolso do corretor, especialmente no início da carreira, quando ele ainda não é tão conhecido. Nesse contexto, fazer parte de uma imobiliária pode fazer bastante sentido como primeiro passo de um corretor iniciante.

Outro ponto a ser destacado é que, até que o contrato de venda ou locação seja concretizado, sempre existe o risco de uma das partes envolvidas desistir em cima da hora. Nesse caso, mesmo que o corretor tenha feito um longo trabalho de intermediação, ele não ganha nada. 

Por outro lado, profissionais mais experientes podem ter grandes benefícios ao atuarem como autônomos. Eles podem até não ter o salário fixo, mas, quando conseguem desenvolver uma boa carteira de imóveis e se comunicar bem com o público-alvo, obtêm ganhos muito mais altos com a comissão de venda do imóvel

Portanto, a decisão entre trabalhar como autônomo ou se associar a uma imobiliária depende muito de fatores individuais. Cabe a você analisar suas condições e expectativas no longo prazo para escolher o melhor caminho. 

3. Quanto ganha um corretor de imóveis?

Os valores pagos em caráter de comissão para a intermediação de negociações imobiliárias seguem uma tabela definida pelo Creci. O cálculo da comissão, portanto, é feito de acordo com a tabela. Como exemplo, vamos considerar os percentuais validados pelo CRECI-SP:

Tipo de transaçãopercentual de comissão
comissão para venda de imóveis rurais 6% a 10%
comissão para venda de imóveis urbanos6% a 8%
comissão para venda de imóveis industriais6% a 8%
comissão para venda judicial5%
comissão para venda de empreendimentos4% a 6%
comissão para locação de imóveis (sempre paga pelo locador)1 mês de aluguel
comissão para locação por temporada (até 90 dias)30% sobre o valor recebido

Vale destacar que a tabela é uma referência. Às vezes, a depender da imobiliária ou da incorporadora, há acordos com percentuais diferentes. O corretor deve ficar atento a isso para conseguir negociar condições melhores.

Quando a intermediação é feita para imóveis na planta, as construtoras e as incorporadoras costumam oferecer outros incentivos aos corretores. Geralmente, há premiações pelo alcance de metas.

4. O que é necessário para ser corretor de imóveis?

Para ser corretor imobiliário é necessário ter o ensino médio completo e fazer um curso técnico ou uma graduação relacionada ao setor. As formações exigidas são Ciências Imobiliárias, Gestão Imobiliária, Negócios Imobiliários ou Técnico em Transações Imobiliárias. Depois disso, é necessário ter um registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci).

Cada estado tem seu próprio Creci e todos eles são subordinados ao Conselho Federal de Corretores de Imóveis (Cofeci). Essas instituições prestam apoio jurídico e promovem eventos voltados aos afiliados, além de serem responsáveis pela habilitação dos corretores. Elas também podem punir profissionais que atuam fora de suas diretrizes.

O Creci é quem estabelece os parâmetros que regem o exercício da profissão para quem quer se tornar corretor de imóveis. A atuação como corretor sem o devido registro é considerada uma contravenção penal.  

Em geral, para obter o registro no Creci, você precisa apresentar os seguintes documentos:

  • CPF;
  • carteira de identidade;
  • título de eleitor e comprovante de votação da última eleição;
  • certificado de reservista (para homens até 45 anos);
  • comprovante de residência;
  • diploma de curso relacionado ao setor imobiliário;
  • certificado de conclusão do ensino médio;
  • comprovante de pagamento das taxas do Creci.

Vale lembrar que o Creci de cada estado pode cobrar taxas diferentes. Depois que o requerimento de inscrição é aprovado, o prazo para que o documento fique pronto fica entre 30 e 60 dias.  

5. Como é o curso de corretor de imóveis?

Um curso de formação para corretor de imóveis pode levar entre 1 e 4 anos, dependendo do modelo escolhido. Alguns deles têm estágio obrigatório, o que faz com que o estudante experimente vertentes diversas dentro da profissão antes de se formar. 

Depois de formado e com o registro do Creci em mãos, você já poderá atuar legalmente. Além disso, terá a possibilidade de se especializar em determinadas áreas, como a de avaliador técnico de imóveis.

Veja mais detalhes sobre as opções de cursos disponíveis:

Curso Técnico de Transações Imobiliárias

O curso Técnico de Transações Imobiliárias é um curso de nível médio que dura, em média, um ano. O profissional é preparado para atuar com compra, venda e locação de imóveis. Para isso, são trabalhados temas como a documentação exigida para cada operação e as determinações legais sobre ocupação e uso de imóveis.

Tecnólogo em Negócios Imobiliários ou Gestão Imobiliária

Os cursos de Negócios Imobiliários e Gestão Imobiliária se enquadram na categoria dos cursos superiores e formam tecnólogos aptos a atuar no setor imobiliário. Com duração entre 2 e 3 anos, ele vai além do conteúdo apresentado nos cursos técnicos e preparar os alunos para avaliar as condições do mercado com mais profundidade.

Bacharelado em Ciências Imobiliárias

O bacharelado em Ciências Imobiliárias tem duração de 4 anos. A grade curricular é multidisciplinar. Além de trabalhar com o essencial do mercado imobiliário, ela traz disciplinas relacionadas à psicologia, sociologia, história, administração, direito, contabilidade, arquitetura e urbanismo.

Além do que se aprende nos cursos, o corretor de imóveis deve desenvolver ao longo da carreira uma série de competências que ajudarão a ter resultados cada vez mais expressivos. Saber fazer networking, ter empatia para entender as necessidades do cliente e ser perseverante para pensar no longo prazo faz toda a diferença.

6. Por que investir na carreira?

O mercado imobiliário atrai inúmeros profissionais todos os anos devido à sua consolidação e ao excelente número de oportunidades que oferece. Nesse sentido, muitos trabalhadores têm se interessado pela profissão de corretor de imóveis.

Veja abaixo algumas das razões para investir nessa carreira:

Ganhos financeiros

Ao escolher uma profissão, o trabalhador precisa, é claro, considerar os ganhos financeiros. Felizmente, um corretor de imóveis costuma ser bem remunerado por seus serviços. Os ganhos mensais de corretores – tanto autônomos quanto registrados – são determinados pelo valor das comissões referentes aos negócios fechados. 

Como as comissões variam, assim como número de casas e de apartamentos vendidos e como o tempo trabalhado por mês, não é possível determinar uma média salarial para um corretor de imóveis.

De acordo com o Creci, a comissão paga a um corretor deve ser de 6% do valor da transação. Contudo, esse número varia de acordo com a transação – se é compra ou se é locação. 

No caso de compras de imóveis, a taxa pode variar de 6% a 8% quando as propriedades estão situadas em regiões urbanas. Já os imóveis localizados em áreas rurais apresentam uma comissão de 6% a 10%, enquanto que propriedades provenientes de ações judiciais geram 5% de comissão.

Para a locação, o valor é calculado de outra forma, já que costuma corresponder a um aluguel. Assim, na maioria dos casos, o primeiro aluguel do imóvel costuma ser direcionado ao corretor.

É comum que, no início da carreira, o profissional apresente ganhos financeiros menores do que colegas de profissão que já estão no ramo há mais tempo. Isso porque um corretor precisa de uma base de clientes, além de reconhecimento no mercado, atributos que só são conquistados após um determinado período.

Flexibilidade de tempo

Um corretor de imóveis tem a vantagem de trabalhar com horários mais flexíveis, de acordo com sua rotina de trabalho desejada e com suas preferências pessoais.

No entanto, apesar da flexibilidade de tempo, não se engane: um corretor de imóveis trabalha muito. Nesse caso, a grande vantagem é poder definir sua própria agenda, o que não significa que não será necessário esforço, dedicação e tempo de trabalho.

Carreira sólida

Se você deseja construir uma carreira profissional sólida, ser um corretor de imóveis é uma excelente oportunidade. Isso porque um bom profissional, que tenha habilidades com vendas e com a gestão de pessoas, com o passar do tempo, pode ser promovido dentro de uma imobiliária – no caso de corretores que trabalham com carteira assinada.

O treinamento e o aperfeiçoamento de habilidades são grandes aliados dos profissionais que desejam ascender na carreira. Por isso, se você planeja ser um corretor de imóveis, lembre-se: é preciso estudar e se atualizar sobre o mercado imobiliário de forma constante.

A idade nunca é um problema

Muitas profissões, mesmo que de forma não oficial, estabelecem parâmetros etários para os profissionais. Já para a profissão de corretor imobiliário a idade nunca é um problema.

Esses profissionais atendem clientes de diversos perfis e segmentos e, por isso, sempre haverá uma oportunidade para corretores mais jovens e também para corretores mais experientes.

Satisfação profissional e pessoal

Ser um corretor de imóveis é estar em constante contato com o sonho dos clientes. Isso porque a conquista de um imóvel, seja por meio de uma compra ou de uma locação, é um grande passo na vida da maioria dos brasileiros.

Desse modo, o corretor de imóveis garante, além de satisfação profissional – uma vez que concretizar uma venda o empodera -, satisfação pessoal, uma vez que sabe que pôde contribuir de forma positiva com a realização de um sonho.

Para começar na profissão do jeito certo, que tal conferir algumas dicas? O corretor de imóveis Vinicius Castel publicou, em seu canal no YouTube, um vídeo com algumas orientações para que os profissionais tenham bons negócios em 2021. Vamos assistir?!

Agora que você já sabe como se tornar corretor de imóveis, que tal ficar por dentro de vários assuntos que envolvem a profissão? A newsletter gratuita da Arbo traz tudo que você precisa saber para se dar bem na carreira. Para se cadastrar, é só preencher o formulário abaixo.

Receba nossos novos conteúdos por e-mail!


Cadastre-se na newsletter semanal do Blog da Arbo, com tudo que você quer saber sobre imóveis. É grátis!

Postagens relacionadas

fundos de investimento imobiliário

Investimento imobiliário: o que saber sobre fundos

Além do tradicional investimento imobiliário através da compra de imóveis físicos, é possível aplicar neste setor através dos fundos imobiliários. Entenda tudo sobre o assunto neste artigo Os fundos de investimento imobiliário, conhecidos como FII, são uma alternativa para quem deseja investir no mercado imobiliário. Nesse texto você irá conhecer mais sobre essa alternativa de […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *