18 de outubro de 2021

O futuro do setor imobiliário: sua empresa está preparada?

futuro do setor imobiliário

Será que sua empresa está pronta para os novos desafios? Conheça as perspectivas para o futuro do setor imobiliário!

Você já ouviu falar muitas vezes sobre os efeitos da transformação digital. A essa altura, já sabe muito bem que o trabalho está mudando e o comportamento do consumidor também. Essas mudanças são parte da sua vida e permitem, inclusive, que você esteja lendo este artigo. Mas como sua empresa vem se preparando para o futuro do setor imobiliário?

Este post do Blog da Arbo traz um panorama sobre como é, de fato, essa transformação. Você verá quais são as perspectivas do mercado para os próximos 20 anos, os impactos da tecnologia para empresas e consumidores, como se preparar para lidar com isso e os benefícios de investir desde já. Confira!

Perspectivas para o mercado imobiliário

Em 2019,a Abrainc (Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias) e a empresa de serviços corporativos Deloitte publicaram o estudo Comportamento do Consumidor de Imóveis em 2040. O objetivo era fazer uma análise a partir de dados oficiais e de mercado para compreender o cenário da habitação no Brasil e desenhar possíveis estratégias para o futuro do setor imobiliário.

O trabalho considerou fatores econômicos, sociodemográficos e comportamentais para traçar alguns cenários possíveis nas próximas décadas. São dados como envelhecimento da população, diferenças entre gerações, amadurecimento tecnológico, comportamento do consumidor, entre outros.

Um dos dados mais relevantes é que a demografia do Brasil está em fase de transição. Com a queda na taxa de fecundidade, as famílias têm menos filhos. Por consequência, a proporção de pessoas mais velhas na população geral está aumentando. Estima-se que, em 2040, teremos mais pessoas acima de 65 anos do que abaixo dos 15 anos.

Outro impacto disso é que os núcleos familiares serão menores e mais diversificados, ou seja, haverá maior convivência entre pessoas de faixas etárias distintas. As características geracionais também representam um aspecto importante.

A chamada geração Z, formada por pessoas nascidas a partir de 1994, terá cada vez mais influência na hora de tomar decisões sobre a compra de um imóvel. Para esses jovens, flexibilidade é um valor importante. 

Isso fortalece formas menos convencionais de pensar no uso de uma residência. Modelos baseados em compartilhamento de serviços e áreas comuns reduzem o custo de vida e são uma solução para tempos de apartamentos cada vez menores. 

O aluguel passa a não ser só uma questão de necessidade, mas de opção. Interessadas em conhecer novos lugares e ter experiências variadas, muitas pessoas preferem alugar imóveis para poderem se mudar sem muita burocracia.  

Essas pessoas também acreditam que o status trazido por uma bela casa  é menos relevante que a possibilidade de moldar o imóvel às suas necessidades. Dessa forma, os imóveis com espaços integrados ganham força, pois permitem conectar diferentes cômodos e suas funcionalidades.

A Internet das Coisas também cumprirá um papel essencial. A possibilidade de utilizar uma série de dispositivos conectados à mesma rede para agregar conforto ao lar e facilitar as tarefas domésticas é um ponto crucial na experiência do cliente.

O novo perfil do consumidor

Acostumado com as facilidades de serviços prestados de forma ágil e barata por diversos aplicativos, o consumidor de 2040 exigirá a mesma velocidade na negociação com imobiliárias e corretores. Na verdade, essa já é uma demanda muito marcante nos dias atuais.

O futuro do setor imobiliário é lidar com um consumidor que quer liberdade para construir sua própria identidade, sem ter que ficar submetido a algo muito padronizado. A facilidade para obter informações faz com que ele seja mais criterioso em suas escolhas. O desafio das empresas, portanto, é apresentar-se como uma marca confiável.

Além disso, em termos de comunicação, é necessário mostrar mais do que um produto – as pessoas procuram por soluções adaptadas ao seu dia a dia. E como tais soluções precisam ser rápidas e sem burocracia, o consumidor está disposto a pagar um pouco mais para economizar tempo.  

Como preparar sua imobiliária

O estudo da Abrainc e da Deloitte aponta o uso de inteligência de dados como uma grande aliada do setor imobiliário na evolução da experiência do cliente. A aplicação do business intelligence é indispensável para tomar decisões melhores e direcionar os anúncios imobiliários da maneira correta. Da mesma forma, entender o comportamento do público-alvo é a chave para criar uma comunicação efetiva.

O processo de aquisição e locação de imóveis caminha para ser quase inteiramente online. Isso vale para a escolha do imóvel, a análise de várias opções de crédito e até a assinatura do contrato digital. Todos esses recursos precisam estar na palma da mão do consumidor, por meio do smartphone. 

Também é necessário estar de olho nos fatores vistos como entraves para a compra de um imóvel. A pesquisa da Abrainc e da Deloitte distribuiu questionários para 1.313 pessoas e as dificuldades apontadas por elas foram:

  • 57% – Burocracia para financiamento
  • 44% – Falta de transparência sobre o processo de venda e entrega do imóvel
  • 44% – Imagem negativa da construtora/incorporadora
  • 43% – Falta de transparência sobre o processo de construção até a entrega
  • 41% – Falta de clareza sobre a documentação necessária
  • 40% – Falta de pontualidade na entrega do imóvel
  • 35% – Espera para entrega do imóvel
  • 34% – Falta de confiança no atendimento
  • 32% – Exigência de garantias para financiamento
  • 31% – Falta de apoio com a documentação

Esses problemas devem direcionar o desenvolvimento das soluções tecnológicas para o futuro do setor imobiliário, bem como a produção de conteúdo dentro das estratégias de marketing. Com isso é possível alcançar padrões de qualidade elevados e proporcionar uma experiência diferenciada ao cliente.

Aliás, 44% dos participantes da pesquisa afirmaram que comprariam um imóvel em um processo 100% online, desde que a empresa responsável fosse capaz de validar a documentação com transparência e segurança. Nesse cenário, o corretor assume um papel consultivo. 

Benefícios de investir em tecnologia

Adaptar-se às novas características do mercado para evoluir em relação à experiência do cliente exige investimento focado em tecnologia. Os antigos processos burocráticos apoiados em tarefas feitas manualmente devem ser substituídos por um fluxo de trabalho sustentado por sistemas de automação. 

Entre as diversas vantagens que isso leva para as imobiliárias, podemos destacar as seguintes

Cliente satisfeitos

Ao investir em tecnologia voltada para a experiência do cliente, o resultado mais óbvio é ter consumidores felizes. Essa boa impressão se reflete de forma positiva em termos de marketing, já que as chances de transformar o cliente satisfeito em um defensor da marca crescem.

A tendência é que esse consumidor, além de voltar a fazer negócios com sua empresa em um outro momento, ainda a indique para outras pessoas. Assim, há um ganho de reputação a cada atendimento bem executado. 

Crescimento nas vendas

Como vimos anteriormente, boa parte dos consumidores afirma que aceitaria pagar mais por um serviço mais rápido e confiável. Com isso, aquela lógica de que, para atrair mais clientes, é obrigatório baixar o preço, não se sustenta. Promover inovações e entregar um pacote de serviços personalizados agrega valor ao que é oferecido. E esse valor é percebido pelo cliente. 

Aumento no ticket médio

O uso da tecnologia permite saber muito mais sobre o consumidor, suas necessidades e seus desejos. Com uma oferta variada de serviços para acompanhar o produto principal, é possível elevar o ticket médio. O mesmo vale para o incentivo ao up-sell e o cross-sell. Também se destaca a necessidade de investir nos processos de pós-venda.

Fortalecimento da marca

Ter processos bem executados e assegurar o sucesso do cliente em todas as etapas de sua jornada é uma maneira de fortalecer sua marca. Aliados a uma comunicação bem feita, que agrega identidade e posicionamento, esses fatores tornam sua empresa mais presente e tem impacto positivo sobre a forma como ela é percebida. 

Como vimos ao longo deste artigo, imobiliárias e corretores não podem se acomodar e insistir nas mesmas estratégias que já foram dominantes um dia. Olhar para o que vem a seguir é crucial para a sobrevivência no setor. E aqueles que derem o primeiro passo agora terão uma vantagem competitiva importante para as próximas décadas.

Quer elevar o potencial de crescimento do seu negócio? Entre em contato conosco, seja um parceiro da Arbo e prepare sua empresa para o futuro do setor imobiliário com soluções que se encaixam às suas demandas.   

Acompanhe as novidades do Blog da Arbo!


Cadastre-se e receba por e-mail nossa newsletter com tudo que você quer saber sobre imóveis. É grátis!

Postagens relacionadas

importância qualidade no atendimento imobiliária

Qualidade no atendimento: o que você deve saber?

A qualidade no atendimento é determinante para garantir a satisfação dos clientes de uma imobiliária antes, durante e após o processo de compra. Continue a leitura e confira tudo que você precisa saber para oferecer uma boa experiência ao consumidor A experiência do cliente – também chamada de CX (Customer Experience, em inglês) – tem […]

Veja lançamentos em Curitiba na planta!

A capital paranaense é mundialmente conhecida por sua sustentabilidade e se tornou sinônimo de qualidade de vida. Veja sobre os Lançamentos em Curitiba! Curitiba possui aproximadamente 1.851.215 habitantes que vivem em 75 bairros, em mais de 430 km² de sua vasta área. A capital tem vários bosques, praças e parques, o que a deixa com […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *