25 de junho de 2022

Saiba tudo ao usar a calculadora de financiamento

calculadora de financiamento

Usar uma calculadora de financiamento pode ser um dos passos mais importantes para quem deseja aderir a essa modalidade de pagamento. Mas, antes disso, é importante saber de algumas informações. Confira tudo neste texto. 

Um financiamento de imóveis, muitas vezes, é uma grande oportunidade para quem deseja conquistar o sonho da casa própria. Afinal, por meio dessa modalidade, é possível adquirir um imóvel e dividir o seu pagamento ao longo de anos. O que aumenta as chances de compras de muitas pessoas que não teriam o valor integral do imóvel para pagar de uma vez. Mas, para chegar até a fase da entrega das chaves, o caminho é longo. Repleto de processos e burocracias. Por isso, para quem deseja fazer um financiamento, planejamento financeiro é essencial. E uma das tecnologias que mais ajudam a fazer esse planejamento é a calculadora de financiamento imobiliário. Elas são muito úteis na hora de calcular qual será o valor total do seu financiamento. 

Mas, antes de chegarmos até esse assunto, que tal conversarmos com mais detalhes sobre o financiamento propriamente dito?

Neste texto do Blog da Arbo, vamos falar sobre as possibilidades que você tem para contratar um financiamento, como se preparar financeiramente para isso e como a calculadora pode te ajudar. 

Calculadora de financiamento

Financiamento de imóveis: o que é? 

Para começar, vamos conversar um pouco sobre o que é exatamente um financiamento de imóveis. Nesta modalidade de investimento imobiliário, o comprador empresta uma quantia a uma instituição financeira e firma o compromisso de pagá-la de forma mensal para adquirir um imóvel.

Ou seja, essa é uma ótima solução para pessoas que ainda não possuem condições de arcar com o valor integral de um determinado imóvel dividir esse pagamento em diversas parcelas, que podem se estender por vários anos.

Mas, o que muitas vezes as pessoas não sabem é que não existe apenas um tipo de financiamento de imóveis. Pelo contrário, são algumas possibilidades diferentes. Cada uma delas com características e requisitos diferentes para os interessados. 

É importante lembrar também que o mercado de financiamentos muda a todo o instante. Sempre surgem novos programas, sejam eles públicos ou privados, que tem o objetivo de incentivar as pessoas a comprarem as suas casas. Por isso, as que vamos listar aqui neste texto (logo abaixo) são as principais que temos atualmente. Mas é sempre importante os interessados pesquisem se há novidades no setor sobre o assunto. 

Quais são os principais tipos de financiamento de imóveis?

SFH (Sistema Financeiro de Habitação)

É o sistema de financiamento imobiliário mais comum entre os brasileiros. Os recursos provenientes do SFH podem ser utilizados para a compra, a reforma ou a construção de um imóvel. Nesta modalidade, o valor do financiamento deve ser de até 80% do total do imóvel. Além disso, a casa ou o apartamento não pode exceder o valor de R$ 1,5 milhão.

A taxa de juros anual dos financiamentos SFH é fixa e limitada pelo governo federal. Para usufruir do sistema, o indivíduo deve, além de selecionar um imóvel que se encontre nas condições citadas:

SFI (Sistema Financeiro Imobiliário)

Essa opção está direcionado a cidadãos com necessidades específicas, que não estão previstas nos demais sistemas. Como, por exemplo, para quem deseja financiar um imóvel com o valor acima do de R$ 1,5 milhão. Além disso, em comparação com o SFH, que concede um financiamento de até 80% do valor do imóvel, o SFI pode chegar a até 90% do valor da casa ou do apartamento. 

O SFI é, também, menos criterioso na avaliação de crédito e, por isso, não estabelece um limite de comprometimento de renda, o que permite que o cliente pague parcelas com valores maiores. 

Casa Verde e Amarela

Esse programa Casa Verde e Amarela é o programa que substituiu o famoso “Minha casa, minha vida”. Ele consiste em uma tentativa do Governo Federal de facilitar o acesso de parte da população à moradia. Lançado em 2020, o público alvo do programa é composto por famílias de baixa renda. Para isso, a iniciativa irá disponibilizar subsídios com o valor de até R$ 140 mil para a compra de um imóvel.

Já as famílias que desejam reformar sua casa ou seu apartamento poderão contar com subsídios de até R$ 23 mil. As especificações desse programa são restritas a famílias que possuem uma renda mensal máxima de R$ 7 mil.

Calculadora de financiamento

Simulador de financiamento: como é feito o cálculo? 

Agora que você já sabe o que é e quais são as possibilidades que o mercado oferece para os financiamento de imóveis, chegou a hora da gente conversar sobre cálculos. Afinal, você sabe como é feito o cálculo de um financiamento? É claro que a calculadora de financiamento ajuda (e muito), mas é importante para o seu planejamento financeiro também saber sobre as taxas e variáveis que são realizadas neste cálculo. Vamos a elas! 

Algumas das principais variáveis que temos no cálculo de um financiamento de imóveis são: 

  • Renda mensal familiar
  • Entrada
  • FGTS
  • Prazo de financiamento imobiliário
  • Taxa de juros
  • Idade 
  • Valor do imóvel

Confira a explicação para cada uma delas para você saber qual é o valor que deve informar para a sua instituição financeira: 

Renda familiar

Esse valor é a soma de todos os membros que podem colaborar com as despesas da casa. Por exemplo, caso você more com os seus pais e eles recebam aposentadoria, esse valor também entra na renda familiar. A soma de todos esses valores, é a renda da sua casa. 

Entrada

Quanto você pode pagar na entrada? As instituições financeiras definem um mínimo para o interessado em fazer o financiamento pagar. Mas isso não é regra. Claro que, quanto mais você conseguir pagar, menor serão as parcelas do seu financiamento. Então, faça bem as contas e tenha uma porcentagem boa para oferecer de entrada. 

FGTS

O FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) é uma das maneiras que você tem de compor a entrada do seu financiamento, reduzindo o valor das parcelas financiadas. Ou seja, você tem a opção de resgatar o valor do seu FGTS para somar com o valor da sua entrada. Essa é uma opção que é bastante usada, principalmente para quem deseja comprar o seu primeiro imóvel. 

Prazo de financiamento

Por quanto tempo você quer pagar? Quanto mais você aumenta o tempo de financiamento, menores ficam as parcelas. Porém, esse é um tempo limitado. A maioria das instituições financeiras têm o prazo máximo de financiamento de 360 meses.

Taxa de juros 

Outro fator importante são as taxas de juros do momento da realização do financiamento. Isso porque, como o imóvel é um bem de alto valor, é muito afetado por essas taxas definidas pelo governo. 

Como, por exemplo, a Selic (taxa básica de juros). Quanto mais baixas elas ficam, mais as taxas de financiamento tendem a cair. Com esse crédito mais barato, o consumidor consegue financiar um imóvel de um padrão maior que antes.

Idade 

A idade do responsável pelo financiamento também conta muito na hora de calcular os juros. Em geral, as instituições acionam o MIP (Morte e Invalidez Permanente). Uma espécie de seguro que protege a instituição financeira em caso de morte do mutuário. 

Aprendeu como é realizado o cálculo de um financiamento de imóveis? Então, agora, vamos às vantagens e desvantagens dessa modalidade. 

Calculadora de financiamento

Financiamento de imóveis: vantagens e desvantagens

Nos últimos anos, o financiamento de imóveis tem ganhado muito destaque no mercado imobiliário brasileiro. 

Segundo dados coletados pela Abecip (Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário), o financiamento imobiliário bateu um recorde histórico em 2020, ao registrar um crescimento de 58% ao longo do ano em comparação ao mesmo período de 2019.

No último ano, os financiamentos imobiliários com recursos do SBPE (Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo) somaram R$ 123,9 bilhões. O crescimento histórico foi ainda maior do que em 2014, quando os financiamentos chegaram a R$ 112,9 bilhões.

O crescimento dos financiamentos imobiliários começou a ser registrado em abril de 2020, em meio à pandemia de covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Ao longo do que muitos especialistas pensaram, o cenário pandêmico foi favorável ao mercado imobiliário, que alcançou recordes de venda no último ano.

Uma pesquisa do Secovi-SP (Sindicato da Habitação de São Paulo) mostrou que o setor não parou de crescer durante o período de quarentena. E o crescimento não foi registrado apenas nas vendas, mas também nos lançamentos.

São diversos os fatores que explicam todo esse crescimento. Mas, para destacar somente alguns, podemos citar a recente relevância dada aos imóveis – devido às medidas de isolamento e de distanciamento social – e pela queda histórica da taxa básica de juros, conhecida como taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia), finalizou 2020 no patamar de 2% ao ano. 

No último ano, quase 427 mil imóveis foram financiados, o que representa um aumento de 43,2% em relação a 2019, que contabilizou quase 298 mil unidades financiadas. Nesse cenário, a pesquisa mostra que todos os estados brasileiros registraram aumento no número de financiamentos imobiliários.

Mas, como em todas as outras opções de pagamento, o financiamento de imóveis tem também as suas vantagens e desvantagens. 

Principais vantagens dos financiamentos imobiliários

O financiamento é conhecido por ser uma modalidade de pagamento procurada, principalmente, por investidores que desejam obter lucro com o imóvel e aumentar os seus patrimônios. Isso ocorre porque, é possível, com o lucro que o imóvel dará, cobrir as parcelas do financiamento. Essa é uma estratégia muito comum entre os investidores.  

Mais essa não é a única vantagem de um financiamento, é possível contar com uma grande valorização do imóvel com o passar do tempo, o que também, em tese, iria cobrir o valor gasto com o financiamento.  E, por último, claro, o financiamento imobiliário permite, logo após todo o processo burocrático, a habitação imediata do imóvel. 

Desvantagens dos financiamentos imobiliários

A primeira coisa que devemos pensar ao falar de desvantagens de financiamento é que é em relação ao tempo. Um financiamento consiste em um compromisso de pagamento que pode perdurar por muitos anos. Em geral, ele conta sim com uma taxa de juros que pode ou não ir crescendo conforme o pagamento da dúvida. 

Desse modo, é necessário ter certeza de que será capaz de arcar com os custos e realizar um planejamento financeiro correto para os próximos anos. Esse planejamento é um item essencial nessa etapa, já que será capaz de avaliar se o comprador pode ou não se comprometer com a dívida.

Caso você queira saber mais detalhes sobre financiamento imobiliário, pode conferir mais texto sobre o assunto no blog da Arbo. Temos alguns textos que podem te ajudar em suas eventuais dúvidas por lá. 

Agora, avançamos mais uma etapa em nossa explicação e vamos conversar sobre as calculadoras de financiamento imobiliário. Qual será a utilidade desta ferramenta que é tão falada? 

O que é uma calculadora de financiamento imobiliário

Uma calculadora de financiamento imobiliário é uma ferramenta utilizada para calcular parcelas, prazos e valores de um financiamento com o intuito de comprar ou de tomar outras ações relacionadas ao mercado imobiliário.

Utilizar essa ferramenta é fundamental para um planejamento prévio, pois, a partir dela, o comprador pode ter noção de sua condição financeira, além de quanto dinheiro ele teria que desembolsar para conseguir pagar as prestações, e por fim, quais os prazos de todas as mensalidades. 

Na internet você pode encontrar diversas calculadora de financiamento para fazer o cálculo de financiamento imobiliário e é por isso que você deve utilizá-las. Para isso, você irá preencher uma série de informações para simular o financiamento e saberá se pode ou não arcar com a compra de um imóve. 

Um dos simuladores que são mais usados é o da Caixa Econômica Federal. Ele é bem completo e simples de usar.

O cálculo da simulação nada mais é do que a soma do valor do imóvel, tempo de financiamento e os juros mensais. Além disso, como já explicamos, deve-se levar em consideração todas essas variantes. 

Para que você entenda com mais clareza sobre o tema, que tal um vídeo? Neste que linkamos abaixo, a professora Cecília Menon ensina passo a passo de como você pode fazer por si esse cálculo sem usar a calculadora de financiamento.

Como utilizar a calculadora de financiamento imobiliário

Agora vamos descrever com mais detalhes quais são os dados que você precisa ter em mãos para usar uma calculadora de financiamento imobiliário. Os juros, como já explicamos, são parte importante do processo de financiamento, pois são eles que vão ditar o quanto você irá pagar mensalmente. Assim, é bom saber como fazer o cálculo para se planejar. 

As informações que você coloca em uma calculadora de financiamento podem variar, mas o mais comum é que você tenha que preencher seus dados e algumas informações específicas, como: 

  • O valor do imóvel que você quer comprar;
  • O valor que você pretende dar de entrada;
  • O prazo do pagamento;
  • Sua renda mensal bruta.

Essas informações podem te ajudar a calcular qual seria o financiamento ideal para você. 

Depois de ler sobre todas essas taxas e juros, você deve estar pensando em apenas uma questão: como fazer para pagar menos em minhas parcelas? E é justamente esse o nosso próximo tópico. 

Como diminuir o valor das parcelas de um financiamento? 

Além de fazer cálculos com a calculadora de financiamento, pensando no financiamento como uma espécie de dívida, é claro que existem maneiras diferentes de realizar a amortização do valor. E existem alguns caminhos para isso. 

O primeiro sistema de amortização que iremos abordar é o chamado SAC (Sistema de Amortização Constante). Ele basicamente é caracterizado pelo pagamento de uma única parcela de amortização em todas as prestações de financiamento. Isso faz com que a taxa de juros diminua e, consequentemente, o valor total do imóvel também apresente uma queda. 

Outra forma de amortização é a Tabela Price, que se caracteriza pelo pagamento de parcelas fixas todos os meses. Dessa forma, a taxa de juros fica mais baixa enquanto a de amortização fica mais alta. 

Ainda, existe o Sacre (Sistema de Amortização Crescente), que é o sistema de amortização mais utilizado pelos brasileiros. Nesse sistema, o valor das parcelas aumenta até atingir o montante máximo e, então, ela decresce até que o pagamento total da dívida seja quitado. Esse sistema apresenta características similares ao sistema da Tabela Price e ao SAC.  

Também separamos um vídeo sobre o assunto que pode te ajudar. Trata-se do vídeo do canal Me poupe, que tem o comando da jornalista Nathalia Arcuri. Confira abaixo: 

Para finalizar o nosso guia sobre tudo que você precisa saber antes de usar uma calculadora de financiamentos, vamos para algumas dicas que podem te ajudar a se organizar financeiramente neste processo. 

Planejamento financeiro: como colocar as contas em dia

Entenda como funcionam suas finanças pessoais

Sabemos que cada um tem um jeito próprio de consumir e organizar o seu dinheiro. Enquanto algumas pessoas já possuem uma habilidade maior em poupar, outras geralmente cedem às compras por impulso e ficam no vermelho antes mesmo do mês acabar. 

Para conseguir ter um bom planejamento financeiro pessoal, é preciso entender a forma como você lida com seus rendimentos e como funcionam suas finanças pessoais. Você gasta mais do que ganha? Possui alguma reserva de emergência? Tem dívidas? Essas são algumas perguntas importantes a serem respondidas neste momento. 

Defina seus objetivos financeiros

Assim que souber como você lida com suas finanças, é o momento de definir suas metas financeiras. Nesse momento, é extremamente importante ser realista. Não adianta ter como objetivo juntar R$ 100 mil em um ano se seu salário é de R $1 mil, correto? Tente estratégias lógicas e possíveis de serem alcançadas, e desmembre o objetivo em metas de curto prazo. 

Caso você queira formar uma reserva de emergência de R $1,2 mil ao final de um ano, comece com a meta de juntar R$ 100 por mês.

Anote suas receitas e despesas

Ter anotações e acompanhar periodicamente suas receitas e despesas é outra dica extremamente importante para o planejamento financeiro. 

Quando você tem ciência de quanto ganha, quanto gasta e, especificamente, onde gasta, consegue ter uma visão mais ampla de onde é necessário cortar despesas, além de identificar potenciais oportunidades de economia.

Compare preços antes de comprar

Estudar os valores antes de fazer uma compra pode evitar que você desperdice dinheiro pagando mais caro por algo, além de evitar as compras por impulso. Através da Internet, a tarefa fica muito mais fácil. 

Você só precisa fazer uma busca por um produto ou serviço que deseja comprar e ver quais são os melhores preços disponíveis. Fique atento também à reputação da loja. Afinal, não adianta pagar mais barato e comprar em uma empresa que não é confiável.

Aprenda a poupar dinheiro

Conseguir guardar dinheiro começa por ter em mente um objetivo muito simples: é necessário gastar menos do que ganha. Pode parecer muito simples, mas algumas pessoas não conseguem atingir este objetivo dentro de um planejamento financeiro e se perdem. 

Aprender a guardar dinheiro exige avaliar as despesas de forma mais estratégica, ter metas realistas e, sobretudo, determinação e persistência para conseguir mudar os hábitos e economizar um pouco a cada mês até atingir seus objetivos financeiros.

Busque ler tudo sobre o assunto 

Um dos passos mais importantes para você manter uma boa situação econômica é se manter informado sobre o assunto. No Blog da Arbo, temos muitos materiais que podem te ajudar. Confira uma pequena relação que preparamos para você abaixo. 

Simulação de financiamento: entenda como a ferramenta pode te ajudar – Precisa contratar um empréstimo e não sabe por onde começar? A simulação de financiamento é uma ferramenta útil que pode te auxiliar nesse início

Simulador de financiamento de imóveis: saiba como o cálculo é feito – O simulador de financiamento de imóveis é um dos passos mais importantes para quem deseja contratar esse serviço. Quer saber como o cálculo é feito? Confira no texto aqui. 

Simulação de crédito: veja se seu pedido de financiamento será aceito – Se você planeja comprar um imóvel com o auxílio de um financiamento, terá de passar pela simulação de crédito. Nesse texto você confere as condições necessárias para ser aprovado

Simulador de financiamento: saiba como seu potencial de compra é calculado – Um dos primeiros passos para quem deseja fazer um financiamento de imóveis, é entender como funciona o simulador de financiamento. Confira neste texto. 

Financiamento imóvel: conheça todas as taxas de financiamento – Quer realizar o sonho da casa própria e precisa financiar imóvel? Então você precisa saber mais sobre a negociação e conhecer as taxas da modalidade. Confira o texto aqui.

Vai comprar um imóvel? Saiba quais são as taxas do financiamento – Se você vai comprar um imóvel e planeja contratar um financiamento, precisa conhecer as taxas da modalidade e as formas de pagamento. Confira o texto completo aqui.

Com tudo isso de conteúdo, é quase impossível não sair expert no assunto, não é? Aproveite. 

dinheiro

Gostou do nosso conteúdo? 

Após conferir esse conteúdo, o Blog da Arbo quer saber: agora você usar uma calculadora de financiamento? Se sim, esse artigo te ajudou em algo? Não se esqueça de deixar sua opinião na caixa de comentários abaixo e, caso tenha dúvidas, aponte-as para que possamos ajudá-lo da melhor forma.

Se você deseja acompanhar artigos de outros assuntos, conheça os demais conteúdos do Blog da Arbo. Aqui você pode conferir todas as informações sobre decoração, cidades, finanças ou mudanças de casa. Tudo muito completo para você não perder nada. 

Veja, também, a Central de Ajuda da Arbo, que pode te auxiliar com diversas dúvidas do dia a dia. Lá você confere, por exemplo, o passo a passo para emitir a segunda via de contas de energia elétrica, de água e do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

E, para encontrar o imóvel ideal, visite o Portal da Arbo. Lá você pode buscar casas e apartamentos e, com o uso de nossos filtros, fica mais simples escolher seu próximo lar.

Postagens relacionadas

condominio-fechado

Veja os tipos de calçadas mais utilizados

A calçada faz toda a diferença para a fachada de um imóvel. Confira neste artigo algumas dicas sobre os tipos de calçadas mais comuns. Embora a calçada seja um dos últimos elementos levados em consideração na hora de planejar ou escolher uma casa, ela não deve ser ignorada. Com uma boa calçada, é possível enaltecer […]

como diminuir o consumo de energia elétrica

Descubra como diminuir o consumo de energia

Com o aumento das tarifas, saber como diminuir o consumo de energia elétrica é essencial. Neste texto você vai conferir as medidas que podem te ajudar nessa tarefa Você está perdendo noites de sono para tentar descobrir como diminuir o consumo de energia elétrica? Se sim, aqui vai uma boa notícia: você está no lugar […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *