16 de maio de 2022

Financiamento ou consórcio: qual é a melhor opção?

financiamento-ou-consórcio

Esta é uma dúvida muito comum entre as pessoas que estão em busca de crédito para comprar um imóvel. Saiba como escolher entre financiamento ou consórcio.

Comprar um imóvel é uma decisão que exige tomar algumas atitudes para a grande maioria dos brasileiro. E, uma das principais, é decidir qual será a maneira de viabilização do imóvel. Isso porque é muito comum que os compradores não tenham o valor integral do imóvel para pagar à vista. Uma vez que imóveis são bens de altos valores agregados. É neste ponto que entram algumas opções de viabilização de crédito para a compra de imóvel. Duas das principais são: financiamento ou consórcio. 

Apesar de serem bem diferentes entre si, é normal que as pessoas fiquem em dúvida sobre qual é a melhor modalidade entre as duas para conquistar o sonho da casa própria. 

É sobre este tema que vamos discutir neste artigo do Blog da Arbo. Reunimos uma série de informações sobre financiamento e consórcio, explicando o que é cada um e nos aprofundando sobre suas características essenciais. 

Dessa forma, você terá mais condições de estudar a melhor opção para seu momento atual. Confira!

Financiamento imobiliário: o que é?

financiamento-ou-consórcio

Vamos começar a nossa explicação definindo o que é financiamento imobiliário. 

O financiamento imobiliário é um dos principais meios de comprar imóveis no Brasil. Nessa modalidade, a instituição financeira paga ao vendedor da casa ou do apartamento o valor integral da negociação e, posteriormente, o comprador assume o compromisso de pagar o banco ou a fintech que quitou sua dívida.

Para comprar um imóvel por meio de um financiamento imobiliário, é possível pagar ou não uma entrada. Na verdade, as possibilidades dependem de cada instituição financeira. 

A Negociação é indicada para indivíduos que não podem arcar com a compra da casa ou do apartamento à vista. Ao contratar um financiamento imobiliário, o comprador tem a obrigação de pagar a instituição financeira em parcelas, que podem durar meses e até mesmo anos.

Quando um indivíduo financia um imóvel, deve estar ciente de que, no período de pagamento das parcelas, não pode negociar a casa ou o apartamento. Isso significa que o imóvel só passa a ser propriedade do comprador após a quitação da dívida. 

Conforme mostrado acima, o mercado de financiamentos imobiliários está bastante aquecido no Brasil. Por isso, é comum que surjam diversos tipos de negociação, que visam atender aos perfis e às necessidades de cada comprador.

Quais são os principais tipos de financiamento imobiliários? 

O financiamento imobiliário é dividido em diferentes tipos. Cada modalidade possui especificidades, que devem ser analisadas pelo indivíduo antes da escolha da melhor opção. 

Veja abaixo os três principais tipos de financiamento no Brasil:

SFH (Sistema Financeiro de Habitação)

O SFH é o sistema de financiamento imobiliário mais comum entre os brasileiros. Os recursos provenientes dessa modalidade podem ser usados não somente para a compra de uma casa ou de um apartamento, mas também para a reforma ou para a construção total de um imóvel.

SFI (Sistema Financeiro Imobiliário)

O SFI tem o objetivo de suprir as necessidades de cidadãos com necessidades específicas, que não estão previstas no SFH. Se você deseja comprar um imóvel que custa mais de R$ 1,5 milhão, por exemplo, deve contratar o financiamento SFI.

Casa Verde e Amarela

O principal objetivo da iniciativa do Governo Federal é facilitar o acesso da população ao direito à moradia. Para isso, o programa tem como foco famílias de baixa renda, que podem receber subsídios de até R$ 140 mil para a aquisição de uma casa ou de um apartamento.

Quer saber mais detalhes sobre o financiamento imobiliário? Então, assista a esse vídeo do canal Me poupe! sobre o assunto: 

Consórcio imobiliário: o que é? 

financiamento-ou-consórcio

Um modelo de financiamento em que um grupo de pessoas interessadas em comprar uma casa ou um apartamento se unem para arrecadar a quantia necessária. A ideia é que todos os integrantes desse grupo, chamados de consorciados, contribuam uns com os outros por meio do pagamento de um valor mensal.

A cada mês, um desses integrantes recebe uma carta de crédito no valor do imóvel desejado. A ordem dos contemplados é definida por sorteio e todo o processo é gerenciado por empresas conhecidas como administradoras. 

Dependendo do modelo, os consorciados também podem ofertar lances – adiantamento das parcelas – para serem contemplados mais rapidamente. Cada administrador tem suas próprias regras em relação aos lances.

Após a contemplação, a administradora dá andamento aos procedimentos de entrega da carta de crédito, mas o valor não é depositado diretamente na conta do consorciado. Na verdade, a própria administradora é quem vai efetuar o pagamento ao vendedor do imóvel indicado.

Financiamento ou consórcio: como funciona o consórcio imobiliário?

Antes de contratar o consórcio é fundamental ler com muita atenção o contrato de adesão, que explica todas as regras do grupo. Ele deve descrever os direitos e deveres dos consorciados, o valor das parcelas e o prazo de duração.

Geralmente, o período de um consórcio de imóveis varia entre 10 e 15 anos e o consorciado pode ser contemplado em qualquer momento dentro desse período. Por isso, o consórcio imobiliário vale a pena para quem não está com pressa em adquirir o bem. Mesmo assim, ele pode ter a sorte de ser contemplado logo no início.

As parcelas de um consórcio são compostas por quatro itens:

  • Fundo comum – é o valor com que o consorciado contribui para a compra do imóvel.
  • Fundo de reserva – é um valor adicional que a administradora guarda para lidar com possíveis imprevistos, como um caso de inadimplência entre os consorciados.
  • Seguro – valor que cobre o crédito contratado em situações como morte do consorciado ou invalidez permanente
  • Taxa de administração – é o valor que a administradora cobra pelos serviços de gerenciamento do grupo de consorciados

Quer saber mais sobre o consórcio imobiliário? Então, assista a esse vídeo abaixo postado no canal do Gustavo Cerbasi sobre o assunto

Afinal, financiamento ou consórcio: qual é a melhor opção para você?

financiamento-ou-consórcio

Como você pode ver, as duas modalidades possuem vantagens e desvantagens. Tanto o consórcio quanto o financiamento podem ajudar muito bem a grupos diferentes de pessoas. 

Caso você esteja com mais pressa para conquistar o seu imóvel e se preocupe menos com os juros a longo prazo, o financiamento com certeza vai te atender com muito mais facilidade. 

Agora, se você não estiver com pressa e pode esperar por alguns meses até realizar o seu sonho, o consórcio acaba se mostrando mais vantajoso a longo prazo em relação a juros. 

O importante é você pesquisar bem antes de tomar uma decisão. O estudo vai fazer com que a melhor opção apareça com naturalidade. Para começar a se aprofundar mais no assunto, indicamos dois artigos do Blog da Arbo para se aprofundar tanto no consórcio quanto no financiamento. Clique nos links abaixo. 

Tudo o que você precisa saber sobre as taxas de juros de financiamento imobiliário

Descubra se o consórcio imobiliário vale a pena

Simulação de financiamento online: conheça a ArboCred 

O Arbo Cred, um dos produtos da Arbo Imóveis, chegou ao mercado para desburocratizar o crédito imobiliário. A ferramenta permite que o cliente consulte as possibilidades de crédito em diversos bancos em um único lugar e de uma só vez. Ou seja, o consumidor não precisa entrar em contato com os bancos que deseja de forma individual, já que o processo é totalmente automatizado.

Desse modo, o Arbo Cred é uma excelente opção para você que decide comprar um imóvel novo ou usado e deseja financiá-lo de forma efetiva e, claro, sem burocracia.

O funcionamento do Arbo Cred é bastante simples, já que tem o objetivo de desburocratizar o acesso ao crédito imobiliário. Veja os passos abaixo: 

Clique aqui e faça sua simulação on-line. Neste passo, você pode comparar as opções e escolher a melhor oportunidade de crédito de acordo com o seu perfil e com os seus objetivos;

Posteriormente, envie sua proposta aos bancos e aguarde a aprovação do crédito – tudo de forma digital;

Após a aprovação, você deve enviar toda a documentação necessária e assinar o contrato. Vale ressaltar que a assinatura do contrato é feita em um prazo menor quando comparada aos procedimentos tradicionais.

Postagens relacionadas

casa-propria

Descubra como a Arbo pode te ajudar na casa própria

Está em busca de sair do aluguel e comprar sua casa própria? Saiba como os serviços da Arbo podem te ajudar neste processo Muitos brasileiros desejam sair do aluguel e conquistar o sonho da casa própria. Esse é um processo, porém, que exige alguns cuidados especiais. Para que tudo fique mais fácil, é importante contar […]

piso de madeira

Piso de madeira: saiba as vantagens

Decorar a casa exige pensar em todos os detalhes para levar harmonia ao ambiente. Veja como escolher um bom piso de madeira!  Até o que parece muito simples pode fazer toda a diferença no resultado final. O piso pode mudar todo um ambiente, por isso a escolha deve ser bem planejada. E, no caso do […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *