25 de setembro de 2021

Financiar imóvel: conheça todas as taxas

Quer realizar o sonho da casa própria e precisa financiar imóvel? Então você precisa saber mais sobre a negociação e conhecer as taxas da modalidade

Comprar uma casa ou um apartamento ainda é um dos principais sonhos dos brasileiros. No entanto, muitos não possuem condições de arcar com a negociação à vista, pois não contam com o valor integral no momento da aquisição. Por isso, boa parte da população se vê diante de uma solução: financiar imóvel.

O financiamento imobiliário é uma alternativa para quem deseja comprar uma casa ou um apartamento e precisa de auxílio financeiro. Para isso, o indivíduo deve entrar em contato com instituições especializadas, como bancos e fintechs, para verificar quais são as possibilidades e as condições disponíveis.

Apesar de ser uma oportunidade para a realização do sonho da casa própria, financiar imóvel significa assumir uma grande responsabilidade, uma vez que o contratante irá se comprometer com o pagamento de uma dívida que pode durar décadas.

Para que você saiba como dar início ao processo de financiar imóvel – e para saber se essa negociação é indicada para seu caso -, o Blog da Arbo preparou esse guia. Nesse texto você vai entender o que é o financiamento imobiliário, quais são seus principais tipos e, é claro, quais são as taxas que incidem sobre o pagamento das parcelas.

O que é financiamento imobiliário?

O financiamento imobiliário é uma alternativa para quem deseja comprar imóveis novos ou usados. Nesse caso, por não possuir o valor integral da compra, o indivíduo conta com o auxílio de uma instituição financeira, que direciona o pagamento ao vendedor da casa ou do apartamento.

Em contrapartida, o contratante do financiamento assume a responsabilidade de pagar o valor ao banco, por meio de parcelas, que podem durar meses e até mesmo anos. Desse modo, o indivíduo deve, além do valor, pagar multas e taxas específicas, que conferem lucro ao banco ou à fintech.

Apesar de o imóvel pertencer à pessoa que o financiou, a casa ou o apartamento não pode ser negociado enquanto a dívida do financiamento não for totalmente quitada. Isso significa que, durante o período de pagamento das parcelas, a instituição financeira pode requerer a propriedade em casos de inadimplência, por exemplo. 

Financiar imóvel: quais são os tipos de financiamento?

Como você pôde perceber, financiar imóvel é uma grande responsabilidade, já que o indivíduo deve arcar com o pagamento das parcelas e, em caso de inadimplência, pode ter a casa ou o apartamento tomado pela instituição financeira contratada.

Para que problemas futuros sejam evitados, é importante que o contratante tenha o máximo de informações possível sobre a modalidade de financiamento. Nesse sentido, é preciso avaliar as condições de pagamento, mas também o tipo de financiamento que será contratado.

SFH (Sistema Financeiro de Habitação)

O SFH é o sistema de financiamento imobiliário mais comum entre os brasileiros. Criado pelo Governo Federal com o objetivo de facilitar o acesso da população à moradia, possui condições específicas e, por isso, se enquadra apenas em determinadas situações.

Esse sistema permite, por exemplo, o uso de recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) para a compra, a reforma ou a construção de um imóvel. Para financiar imóvel com o SFH, o comprador deve escolher uma casa ou um apartamento que custe, no máximo, R$ 1,5 milhão.

O SFH realiza uma análise de crédito do contratante e, para que o indivíduo seja aprovado, o valor da parcela não pode exceder 30% da renda mensal familiar.

Além disso, o SFH estabelece que o valor do financiamento deve ser de, no máximo, 80% do preço do imóvel. Outro ponto importante a ser observado é a taxa de juros anual, que é fixa e limitada pelo Governo Federal.

SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário)

O SFI, por outro lado, foi criado pelo Governo Federal para atender as pessoas que não se enquadram nas especificações do SFH. Desse modo, se você deseja financiar imóvel que custa mais do que R$ 1,5 milhão, deve contratar essa modalidade.

Em comparação com o SFH, o SFI chega a fornecer um financiamento de até 90% do valor do imóvel e, também, não estabelece um limite máximo de comprometimento da renda do contratante.

Se quiser saber mais sobre as especificidades de cada tipo de financiamento imobiliário, veja o vídeo Qual a diferença entre SFH e SFI?, publicado no canal Portal VGV – Tudo sobre Mercado Imobiliário, no YouTube. Assista:

Casa Verde e Amarela

Você já deve ter ouvido falar no Minha Casa Minha Vida, não é mesmo?! O programa foi extinto e, atualmente, foi substituído pelo Casa Verde e Amarela. Criado pelo Governo Federal, a modalidade tem o objetivo de facilitar o acesso da população de baixa renda à habitação.

Os subsídios podem ser utilizados para a compra ou para a reforma de casas e de apartamentos. No caso da compra, os valores podem chegar a R$ 140 mil, enquanto as reformas podem receber subsídios de até R$ 23 mil.

Se você deseja financiar imóvel por meio do programa Casa Verde e Amarela, precisa verificar se seu perfil se enquadra nas condições especificadas nas regras.

Quais são as principais taxas do financiamento imobiliário?

As parcelas do financiamento imobiliário incluem o valor da casa ou do apartamento e, também, a cobrança de taxas. Para financiar imóvel, é preciso estar atento ao que será cobrado, para que você possa prever o valor das parcelas e não ser surpreendido de forma negativa no futuro.

No início da negociação, por exemplo, a instituição financeira precisa, além de avaliar o imóvel, realizar uma análise da documentação da propriedade, além de verificar os vendedores no âmbito jurídico. Esses fatores são chamados de custo de contratação e, na maioria dos casos, são adicionados ao valor do financiamento, que é pago em parcelas mensais.

Os bancos e as fintechs lucram com o pagamento de juros e, por isso, você deve estar ciente que irá pagar algumas taxas específicas, além da amortização. A taxa básica de juros, conhecida como taxa Selic (Sistema Especial de Liquidação e de Custódia).

financiar-imóvel

Por fim, é necessário considerar a cobrança de seguros, especialmente os obrigatórios. No caso de financiar imóvel, é preciso pagar os seguros MIP (Morte ou Invalidez Permanente) e DFI (Danos Físicos ao Imóvel). Muitas instituições divulgam apenas os encargos que serão cobrados e, por isso, você deve estar atento aos valores das garantias.

Desse modo, você precisa saber que financiar imóvel consiste no pagamento do CET (Custo Efetivo Total), que considera a taxa de juros efetiva, os seguros obrigatórios, as tarifas bancárias e os custos iniciais com a avaliação do imóvel.

Devo financiar um imóvel?

Após conhecer as taxas que incidem sobre as parcelas pagas por quem deseja financiar imóvel, você deve estar se perguntando: devo contratar um financiamento imobiliário? A verdade é que a resposta varia, já que depende de cada caso.

Para que você possa tomar a decisão correta, é importante conhecer os prós e os contras dessa modalidade de financiamento.

Vantagens de financiar imóvel

A principal vantagem de financiar imóvel é realizar o sonho da casa própria e, portanto, se ver livre do pagamento do aluguel. No entanto, existem fatores favoráveis para os investidores, já que podem contar com o potencial de valorização do imóvel.

Outro ponto a ser considerado é a possibilidade de habitar o imóvel logo após o fechamento do contrato, o que não acontece, por exemplo, em consórcios imobiliários, nos quais o contratante deve esperar o sorteio.

Desvantagens de financiar imóvel

A principal desvantagem de financiar imóvel é óbvia: a contratação de uma dívida que pode durar décadas. Desse modo, o contratante precisa estar ciente da responsabilidade que está assumindo, pois, em caso de inadimplência, pode ter seu imóvel tomado pela instituição financeira responsável pelo financiamento.

financiar-imóvel

Além disso, o financiamento imobiliário possui como desvantagem taxas mais caras do que as encontradas nos consórcios imobiliários, por exemplo. Avalie os prós e contras de cada situação antes de assinar e oficializar o contrato.

Não se esqueça, também, de verificar seu orçamento e de elaborar um planejamento financeiro. Essa etapa irá apontar se você pode ou não arcar com o pagamento das parcelas do financiamento ao longo dos anos.

O que você achou desse conteúdo?

Agora que você já sabe o que é financiamento imobiliário, os principais tipos de negociação e as taxas que incidem sobre o valor das parcelas, chegou o momento de nos contar sua opinião sobre o conteúdo apresentado. Você acha que o artigo te ajudou de alguma forma? Tem alguma sugestão? Deixe suas impressões na caixa de comentários abaixo e, em caso de dúvidas, não hesite em nos perguntar. 

Quer conferir conteúdos semelhantes? Então basta continuar a navegar pelo Blog da Arbo. Aqui você encontra todas as informações sobre o financiamento imobiliário, bem como suas vantagens e desvantagens. Além disso, tem acesso a artigos sobre o mercado imobiliário, como dicas para começar a investir em casas e em apartamentos.

Conheça, também, a Central de Ajuda da Arbo, que reúne diversas informações importantes para questões do seu dia a dia. Lá você encontra, por exemplo, orientações para emitir a segunda via de faturas de energia elétrica, de água e até mesmo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Por fim, não se esqueça de visitar o Portal da Arbo, que oferece milhares de imóveis em centenas de cidades do Brasil. Use nossos filtros de busca para encontrar a casa ou o apartamento ideal. Acesse!

Postagens relacionadas

limpar-a-casa

Descubra como limpar a casa após a mudança

Adquirir um novo imóvel é uma conquista muito importante, mas é inevitável ter que passar pela etapa da limpeza pós-obra ou pós-mudança. Descubra como funcionam as fases desses serviços de limpar a casa com a Maria Brasileira Quando se fala em reforma ou construção, uma das primeiras imagens que vem à cabeça é a bagunça […]

apartamento-pequeno

Vai mudar para apartamento pequeno? Veja dicas!

O processo de mudança exige muita energia e, caso não seja feito com planejamento, vários imprevistos podem surgir. Por isso, iremos dar dicas para você que vai se mudar para um apartamento pequeno.   Se você está pensando em se mudar para um apartamento pequeno, deve estar pensando por onde começar, o que fazer com […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *