25 de junho de 2022

Veja dicas de como negociar aluguel

negociar-aluguel

Está precisando negociar aluguel com o proprietário ou a imobiliária? Veja algumas dicas que podem ajudar a obter melhores resultados!

Com a chegada da pandemia, muita gente sofreu quedas significativas na renda e os níveis de endividamento e inadimplência cresceram. Segundo a Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada em janeiro de 2021, 66% das famílias brasileiras estão endividadas, algo que reflete diretamente na necessidade de negociar aluguel.

Neste post, vamos abordar algumas informações interessantes para que a negociação seja bem sucedida. Além de entender melhor o funcionamento do mercado imobiliário e entender como ele interfere nos aluguéis, você verá várias dicas para conduzir o diálogo entre as partes e assegurar uma relação tranquila e proveitosa. Confira!

Conheça o mercado imobiliário

Este tópico trata de um tema que é importante não só em momentos de crise como em qualquer negociação de aluguel, independentemente das circunstâncias. Conhecer o mercado imobiliário nos permite comparar diferentes propostas em busca daquela que parece mais realista.

Além disso, todo contrato de locação prevê reajustes anuais no valor das mensalidades. A referência mais utilizada para esses aumentos é o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M). 

Ele é composto por indicadores que medem a inflação nos preços de bens de consumo, como alimentação, e bens de produção, como materiais de construção e as matérias-primas utilizadas na indústria. A partir dessas informações, o IGP-M mede o impacto da inflação sobre a população em todas as faixas de renda.

Dependendo da variação dele, o aluguel pode dar saltos bem altos. Dados levantados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostram que o IGP-M subiu 32% entre abril de 2020 e abril de 2021. Para se ter uma ideia do impacto da pandemia, a variação entre abril de 2019 e abril de 2020 havia sido de 6,68%.

Com um aumento tão expressivo, os proprietários também estão mais abertos a negociar para que o reajuste não seja tão elevado. Além do IGP-M, outros índices muito utilizados na hora de calcular o valor do aluguel são:

  • Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), utilizado para medir a taxa oficial de inflação no Brasil;
  • Índice de Preços ao Consumidor (INPC), utilizado para medir a variação no custo de vida das famílias com renda entre um e cinco salários mínimos.

O índice válido para fazer os reajustes precisa estar explícito no contrato celebrado entre locador e locatário. Não é permitida a troca do indicador, a menos que as partes envolvidas entrem em acordo. Então, esse tipo de alteração pode ser um dos caminhos para deixar o aluguel mais barato.

Construa relações de confiança

contrato de aluguel

Para iniciar a negociação com mais chances de sucesso, é necessário que a relação entre inquilinos e proprietários seja baseada em confiança mútua. Isso facilita as tratativas na hora de resolver determinados problemas, principalmente em um momento de crise econômica.

Se o seu imóvel foi alugado por intermédio de uma imobiliária e você percebeu que as contas vão ficar muito apertadas, vale a pena procurá-la com antecedência. Explique a situação com clareza e a empresa certamente estará aberta a conversar para encontrar a melhor solução.

Embora a lei não obrigue a imobiliária a reduzir o valor do aluguel determinado em contrato, um diálogo transparente pode ajudar muito, pois o momento atual atinge a todos. Nessa situação, negociar aluguel diretamente com o dono do imóvel pode até facilitar um pouco as coisas.

Reúna bons argumentos

Na hora de negociar aluguel, é importante ter uma argumentação consistente para demonstrar ao outro lado a sua situação financeira e convencê-la de que vale a pena entrar em consenso. Veja algumas dicas específicas para essa fase do diálogo:

Mostre que sua renda foi reduzida

Se você ainda mantém os pagamentos em dia, mas está com dificuldades para cumprí-los porque sua renda diminuiu, procure mostrar ao proprietário ou à imobiliária o tamanho desse prejuízo. Ao tomar a iniciativa de abrir o diálogo, você já terá alguns pontos em seu favor, pois isso mostra que você está disposto a pagar, mesmo que seja um valor mais baixo.

Há pelo menos duas opções para lidar com essa situação. A primeira delas é propor o congelamento de algumas parcelas por um prazo definido. Após o fim desse prazo, você pagaria o valor das parcelas congeladas de forma diluída nas mensalidades seguintes. Essa estratégia também serve para os aluguéis que já estão em atraso.

A outra possibilidade é propor uma redução temporária no valor das mensalidades. Em muitos casos, os inquilinos conseguem abatimentos entre 20% e 50% do aluguel. Caso seja esse o caminho escolhido, tenha cautela na negociação e não ameace deixar o imóvel por falta de acordo, pois o proprietário pode ficar irredutível e complicar ainda mais sua situação.

Reforce que você é um bom inquilino

Você tem uma importante vantagem nas negociações caso seja o tipo de inquilino exemplar, que cuida bem do imóvel, paga as mensalidades em dia e está nele há muito tempo. O proprietário certamente não vai querer perder você para colocar um desconhecido no lugar.

Por isso, reforce essas características e ressalte a relação de confiança mútua que vocês já vem mantendo a tanto tempo. Esse tipo de argumentação certamente trará bons resultados, porque, para o locador, não faz muito sentido trocar o certo pelo duvidoso em um momento de crise. 

Mantenha o controle ao negociar o aluguel

negociação de aluguel

Já falamos ao longo desse post sobre a importância de manter o diálogo aberto an hora de negociar aluguel. Para isso, é interessante se atentar aos aspectos comportamentais, que fazem toda a diferença. Afinal, durante qualquer conversa, todos nós damos atenção não só ao conteúdo, mas também ao jeito como ele é transmitido. Veja como guiar a negociação de forma positiva: 

Reconheça que a negociação é importante

A essa altura, o ideal é que você já tenha na cabeça uma proposta bem definida para fazer ao outro lado. Entretanto, é importante reconhecer que ele também tem suas necessidades e certamente já tem sua própria proposta a fazer.

Por isso, mostre-se sempre disposto a ouvir as diversas possibilidades e a analisá-las com calma. Nas relações intermediadas por imobiliárias, lembre-se que a empresa também tem seus interesses na negociação.

Saiba manter a formalidade para que tudo transcorra sem grandes conflitos. Dessa forma, todos estarão bem mais perto de encontrar um consenso.

Tenha empatia

Empatia é a capacidade de nos colocarmos no lugar do outro e entender suas motivações. Já falamos sobre a importância de reconhecer que cada envolvido na negociação tem seus próprios interesses, mas é bom reforçar que a empatia nos ajuda a compreender o que está por trás de determinadas atitudes. Demonstrar-se atento a isso fortalece as pontes entre as partes.

Controle as emoções

Quando nos deixamos levar pelas emoções, podemos ter atitudes intempestivas que só servem para criar conflito. Na hora de negociar aluguel, falhar nesse aspecto pode criar um ambiente tão negativo que torna as tratativas insustentáveis.

Por mais que as divergências pareçam grandes, o caminho para alinhar as expectativas é manter uma postura positiva. Evite falar alto demais ou demonstrar nervosismo, pois isso deixa o interlocutor na defensiva. Na pior das hipóteses, o outro lado pode se sentir tão acuado que simplesmente não haverá mais condições de dialogar.

Observe os sinais

Como mencionamos acima, a forma de uma mensagem vale tanto quanto seu conteúdo. Na verdade, podemos até ir além e dizer que a forma define o conteúdo. Uma mesma frase pode transmitir sensações totalmente diferentes a depender do tom de voz e dos sinais corporais que a acompanham.

Braços ou pernas cruzadas costumam ser sinais de impaciência. Evitar contato visual é demonstração de insegurança ou desinteresse. Esses pequenos gestos, que às vezes fazemos de forma quase inconsciente, dizem tanto sobre o que sentimos quanto as palavras que saem de nossas bocas.

Receba nossos novos conteúdos por e-mail!


Cadastre-se na newsletter semanal do Blog da Arbo, com tudo que você quer saber sobre imóveis. É grátis!

Ficar atento à linguagem verbal ajuda a obter resultados melhores em qualquer negociação, pois nos dão pistas de como criar uma conexão com o outro. 

Esperamos que nossas dicas para negociar aluguel sejam úteis. Ao aplicar as informações que apresentamos aqui, você terá mais condições de encontrar um meio termo que seja interessante para todos os envolvidos. 

Está procurando por imóveis para alugar? Acesse o portal Arbo Imóveis e use nossa ferramenta de busca para encontrar o lugar ideal e fazer tudo online, da negociação à assinatura do contrato. É fácil e rápido!

Postagens relacionadas

organizar a casa

Tudo o que você precisa saber para organizar a casa

Organizar a casa exige métodos bem definidos e senso de disciplina. Confira várias dicas para ajudar nessa tarefa! Um ambiente limpo traz uma ótima sensação de bem estar e ainda contribui para desenvolver um relacionamento saudável entre a própria família. Nos tempos recentes, em que passamos mais tempo em casa devido a várias circunstâncias, nossa […]

O que saber sobre a rescisão de contrato de aluguel

A rescisão do contrato de aluguel merece atenção. Saiba o que fazer e como evitar o pagamento de multas, de acordo com a Lei do Inquilinato No caso da rescisão de contrato de aluguel, podemos comparar o documento com um contrato de casamento, afinal, quem casa não está pensando em divórcio, não é mesmo?! A […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *