8 de setembro de 2021

Descubra como começar a investir em imóveis

Se você deseja obter uma boa rentabilidade mensal, precisa conhecer o passo a passo de como começar a investir em imóveis. Confira o texto e saiba mais sobre o tema

O mercado imobiliário é um dos mais tradicionais quando o assunto é investimento. Entretanto, muitas pessoas não se sentem seguras para iniciar no setor devido à falta de conhecimento. Desse modo, é importante que você saiba como começar a investir em imóveis, para que obtenha os melhores resultados.

Se você deseja começar a investir seus recursos no mercado imobiliário, pode acompanhar esse guia completo produzido pelo Blog da Arbo. Nesse texto você irá conhecer aspectos importantes do setor na atualidade, bem como dicas de como começar a investir em imóveis e, também, vantagens do investimento em comparação a outros tipos.

Continue a leitura e fique por dentro do tema!

O mercado imobiliário na atualidade

Como informado acima, o mercado imobiliário é um dos mais tradicionais e, também, um dos mais procurados por investidores experientes e por investidores iniciantes. Isso porque apresenta vantagens importantes, como segurança e estabilidade.

Esses fatores dependem, no entanto, do momento do setor, que está relacionado com a saúde econômica do país. Em 2020, ao contrário do que muitos especialistas pensavam, a pandemia de covid-19 foi benéfica para o mercado de imóveis.

Segundo dados do estudo Indicadores Imobiliários Nacionais do 3º trimestre de 2020, quase 129 mil novos apartamentos foram vendidos no Brasil no período de janeiro a setembro do último ano. O levantamento foi realizado pela Cbic (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) e pelo Senai Nacional (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), em parceria com a Brain Inteligência Estratégica.

O resultado representa um aumento de, aproximadamente, 8,4% em relação ao que foi registrado no mesmo período de 2019. Os bons números apresentados pelo setor no último ano se devem, especialmente, a fatores e a acontecimentos ligados à pandemia.

Uma das razões para a conquista dos resultados é a mudança de comportamento do consumidor, que se viu diante de novas necessidades. Com as medidas de distanciamento e de isolamento social, as pessoas precisaram passar mais tempo em casa e, por isso, viram o imóvel como um verdadeiro refúgio.

Desse modo, muitos indivíduos buscaram casas e apartamentos maiores, que pudessem conferir aos moradores mais conforto e mais qualidade de vida. Além disso, a procura por imóveis no interior disparou, especialmente devido à possibilidade de trabalho em home office.

Além disso, ao longo de 2020, o Brasil atingiu níveis históricos de redução de taxas de juros. Durante o ano, a taxa básica de juros, a Selic (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) esteve em 2%, o que facilitou o acesso da população aos financiamentos imobiliários.

Em março deste ano, o Copom (Comitê de Política Monetária), que se reúne a cada 45 dias para determinar se a Selic aumenta, diminui ou se mantém estável, alterou o valor da taxa para 2,75% ao ano. Apesar do aumento, o acesso aos créditos continua facilitado, o que não deve trazer prejuízos ao setor imobiliário.

Dicas de como começar a investir em imóveis

Se você considera que precisa de uma grande quantia de dinheiro para começar a investir em imóveis, está enganado. Atualmente, não é necessário dispor de todo o montante inicial para comprar uma casa, um apartamento e até mesmo uma sala comercial.

Isso porque é possível descobrir como começar a investir em imóveis por meio de consórcios imobiliários e, também, de financiamentos, concedidos por instituições financeiras como bancos e fintechs.

Para conferir como começar a investir em imóveis, veja as dicas:

Esteja sempre atento ao mercado imobiliário

O primeiro passo da lista de como começar a investir em imóveis é estar sempre atento ao setor imobiliário. Além disso, é importante estudar e ter conhecimento sobre o cenário econômico do país.

Esses fatores são essenciais para que o investidor inexperiente consiga visualizar as primeiras oportunidades de negócios. Durante a pesquisa, é necessário estar atento, por exemplo, às cidades e às regiões mais valorizadas para comprar e para vender imóveis, à realidade do setor, entre outros fatores.

Não se esqueça, também, de conhecer as principais vantagens e desvantagens de investir em imóveis. Esse passo é fundamental para que você possa lidar com possíveis adversidades no futuro.

Invista em imóveis na planta

Os imóveis na planta são excelentes alternativas tanto para quem deseja realizar o sonho da casa própria quanto para quem deseja começar a investir em imóveis. Isso porque seu custo é mais baixo e, na maioria dos casos, as construtoras facilitam ao máximo o pagamento das parcelas.

Além disso, é preciso considerar que os imóveis comprados na planta passam por uma excelente valorização no futuro, que pode chegar a até 40% do valor inicial.

No entanto, como o apartamento ainda está em construção, o investidor deve estar atento a alguns pontos importantes. Desse modo, precisa conhecer a reputação da construtora para verificar a seriedade do trabalho.

Alugar ou revender?

Se você chegou até esse texto porque deseja descobrir como começar a investir em imóveis, já deve ter se perguntado se a melhor alternativa é disponibilizar a casa ou o apartamento para a locação ou vendê-lo.

Na verdade, não existe uma resposta padrão para a pergunta, já que a decisão depende das necessidades e dos objetivos de cada investidor. Se você deseja, por exemplo, contar com uma renda mensal, pode optar pelo aluguel.

Entretanto, se quer ter acesso ao montante à vista, deve revender o imóvel. Ambas as decisões trazem vantagens e desvantagens e, por isso, a escolha deve considerar o perfil do investidor.

como-começar-a-investir

Você já pensou em investir em terrenos?

Conforme citado anteriormente, os imóveis na planta são uma excelente forma de começar a investir em imóveis. Contudo, é preciso considerar que comprar terrenos também pode lhe trazer bons resultados, especialmente a médio e a longo prazo.

Para fazer a melhor escolha, verifique a localização da propriedade e pesquise sobre o potencial de valorização do espaço. Busque informações sobre o que será feito no bairro, por exemplo, pois esses fatores influenciam na rentabilização futura do terreno.

Nesse caso, você pode tanto revender o terreno quanto construir um imóvel e vendê-lo posteriormente.

Quer saber mais?! O vídeo Afinal, vale a pena investir em imóveis?, publicado no canal Gustavo Cerbasi, no YouTube, mostra os benefícios dessa tradicional forma de investimento. Assista:

Vantagens de investir em imóveis

Após conferir as dicas de como começar a investir em imóveis, é importante que você conheça as principais vantagens desse tipo de investimento. 

Aumento do patrimônio

A formação de um patrimônio é o objetivo de muitos brasileiros. E o investimento em imóveis é uma das principais formas de iniciar ou de aumentar o número de propriedades em seu nome. 

Por serem tradicionais, os imóveis são vistos como prioridade pelos investidores, que consideram, também, a segurança e a estabilidade do investimento.

Outro ponto a ser considerado é a possibilidade de reformar o imóvel, o que pode aumentar o valor de venda e de locação da propriedade. Esse fator, por sua vez, fomenta o aumento dos lucros com o imóvel.

Renda passiva

A renda passiva é uma das principais vantagens de quem decide investir em imóveis e os disponibiliza para locação. Isso porque, todos os meses, o proprietário tem a garantia de que irá receber o valor estipulado no contrato de aluguel.

Além disso, caso os imóveis estejam em boas condições e localizados em bons bairros, o proprietário não terá dificuldades para encontrar locatários, especialmente em um momento em que o mercado está aquecido.

Rentabilidade

Por fim, mas não menos importante, é preciso considerar o potencial de rentabilidade dos imóveis. Mesmo que a casa ou o apartamento não apresente uma valorização expressiva – o que pode acontecer em momentos de retração ou de estabilidade do setor –, a rentabilidade pode surpreender o investidor.

O aluguel é uma das formas mais comuns de rentabilizar um imóvel, mas existem outras alternativas. O proprietário pode, por exemplo, reformar o imóvel e, após as mudanças, revendê-lo por um valor maior.

como-começar-a-investir

Qual é a sua opinião sobre esse conteúdo?

Agora que você já sabe como começar a investir em imóveis e a realidade favorável do mercado na atualidade, chegou o momento de nos contar sua opinião sobre esse conteúdo. As informações te ajudaram de alguma forma? Escreva suas impressões na caixa de comentários abaixo e, caso tenha alguma dúvida, não hesite em nos perguntar.

Se você deseja conferir artigos semelhantes, não deixe de continuar a navegar pelo Blog da Arbo. Aqui você encontra informações importantes sobre o financiamento imobiliário, bem como sobre o uso de consórcios para investir em casas e em apartamentos. Também é possível conferir conteúdos sobre outras categorias, como mudança e decoração de imóveis.

Para saber tudo sobre o investimento em imóveis, basta clicar aqui para acessar o artigo completo.

Conheça, também, a Central de Ajuda da Arbo, que reúne diversas orientações para problemas do dia a dia. Lá você encontra, por exemplo, informações sobre os melhores provedores de internet das principais cidades do Brasil, bem como o passo a passo para a emissão da segunda via de faturas de energia elétrica, de água e até mesmo do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano).

Por fim, não se esqueça de visitar o Portal da Arbo para encontrar o imóvel ideal para você e para sua família. Utilize nossos filtros de busca para pesquisar as opções que melhor se adequam ao seu perfil e às suas necessidades. Acesse!

Postagens relacionadas

mercado imobiliário de aluguel em curitiba

Aluguel em Curitiba: as previsões para o setor

O mercado de aluguel em Curitiba – e em todo o Brasil – tem mudado por conta da pandemia. Diante de diversas dificuldades, é comum que as pessoas se tornem ainda mais cautelosas quanto às negociações A pandemia do novo coronavírus atingiu todos os setores da economia, mas não foi um desastre para o mercado […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *