18 de outubro de 2021

Taxa de corretagem: descubra o que é

taxa-de-corretagem

Está pensando em ser corretor de imóveis? Então, você precisa saber o que é a taxa de corretagem e como ela pode ser a principal forma de remuneração para o seu trabalho. Confira no texto. 

Um corretor imobiliário tem algumas maneiras diferentes de receber a remuneração pelo seu trabalho. Uma das principais é a taxa de corretagem. 

E, por ser uma taxa variável até entre os estados do Brasil, a taxa de corretagem gera muita dúvida entre os corretores, principalmente os iniciantes. 

Então, neste texto, o Blog da Arbo vai te explicar exatamente o que é essa taxa e como você pode calculá-la todos os meses para ter uma boa renda trabalhando como corretor de imóveis. 

Taxa de corretagem.

Mas, antes de irmos diretamente para essa questão, que tal falarmos um pouco sobre a profissão do corretor imobiliário? Confira abaixo: 

Corretor imobiliário: quais são as principais funções? 

Um corretor imobiliário é responsável por uma série de tarefas durante o processo de compra, venda ou aluguel de um imóvel. 

A principal função do corretor é intermediar a negociação entre o proprietário e o comprador ou entre o proprietário e o locatário. Um bom corretor estará sempre presente para fazer com que essa comunicação entre as duas partes na negociação de um determinado imóvel seja feita da maneira mais clara possível.

Os profissionais que são referência nesta função, são especialistas em negociação e intermediação. Resolvendo questões, desde as mais burocráticas até as mais práticas, tanto para o comprador/locador quanto para o proprietário. 

Com o passar dos anos, a função do corretor foi ganhando ainda mais força no mercado brasileiro. E quem nos diz essa realidade são justamente os números. 

Segundo dados coletados pelo  Cofeci (Conselho Federal dos Corretores de Imóveis) e do Creci (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis), o Brasil possuía, em no último trimestre de 2019, mais de 389,4 mil profissionais (corretor de imóveis) e mais de 48,8 mil imobiliárias ativas no cadastro.

Neste mesmo ano, as instituições apontaram que, a cada mês, 2 mil profissionais, em média, ingressaram no mercado imobiliário, ao passo que 200 novas imobiliárias foram abertas no mesmo período de tempo avaliado.

Ou seja, o crescimento do mercado imobiliário não é benéfico apenas para o investidor, mas também para gerar mais empregos e colaborar com a economia do país a médio/longo prazo.

Corretor imobiliário: quais são os pré-requisitos?

Outro fator que costuma chamar a atenção para a carreira de corretor, é o fato que não é necessário graduação para exercer a função. Essa é uma grande vantagem. Mas não quer dizer que não é preciso de estudo e dedicação para se tornar corretor. 

Para começar, é importante você saber que, como todas as outras carreiras, o começo de um corretor imobiliário no mercado é algo que exige dedicação e tempo. 

Isso porque, nos primeiros passos, você ainda não terá os seus clientes e, por isso, provavelmente passará boa parte do tempo em busca de correr atrás dos primeiros para poder iniciar o seu trabalho. 

Para ser corretor imobiliário é necessário apenas: 

  • Ser mais de 18 anos;
  • Ter concluído o ensino médio;
  • Ingressar no curso de TTI (Técnico de Transações Imobiliárias).
  • O equivalente a “graduação” do corretor é o TTI. 

Esse curso tem o nível técnico e é considerado a principal  formação de um corretor de imóveis. Existem diversas formas de cursar os módulos do curso, que podem variar entre 4 a 18 meses. 

Além do TTI, também é possível realizar o curso de tecnólogo em gestão imobiliária também tem um conteúdo semelhante e vai te ajudar a entender melhor as suas funções. 

Depois de escolher uma dessas duas opções, o corretor terá que passar pelo estágio obrigatório. Para se tornar um corretor de imóveis, deve-se cumprir, no mínimo, 128 horas de estágio obrigatório supervisionado. 

Cumprido essa etapa de formação, chegará a hora de passar pelo último teste que é a prova de certificação do CRECI. Prova que vai te dar a carteira de certificação do corretor. 

Essa carteira de certificação é emitida pelo Creci, órgão responsável por coordenar e por fiscalizar as ações de corretores autônomos e de imobiliárias de forma regional. Após ser aprovado na prova, o corretor pode, enfim, colocar a mão na massa e exercer a sua profissão no mercado. 

Taxa de corretagem: o que é? 

Agora sim. Vamos falar um pouco sobre a remuneração do corretor. AO primeiro fato que você precisa saber é que um corretor imobiliário não tem um salário fixo. 

O principal modo de remuneração deste profissional é justamente por meio de comissões. E essas comissões são medidas por meio da taxa de corretagem nos contratos de cada negócio fechado. 

A principal função de um corretor de imóveis no exercício de sua profissão é intermediar a negociação entre o proprietário e o comprador ou entre o proprietário e o locatário. 

Nesse processo, o profissional precisa estar atento às condições apresentadas pelo dono do imóvel, uma vez que deve sempre prezar pelo que atende às necessidades e às preferências do comprador ou do locatário. 

No geral, a corretagem é um contrato de prestação de serviço prestado pelo corretor nesses serviços. Seja na intermediação de uma compra, venda, permuta ou locação de imóveis. Logo, a taxa de corretagem é o percentual de remuneração decorrente dessa prestação dos serviços. 

Para cobrar essa taxa, o corretor está amparado pela lei. Mais precisamente o art. 722 do código civil que diz que “Pelo contrato de corretagem, uma pessoa, não ligada a outra em virtude de mandato, de prestação de serviços ou por qualquer relação de dependência, obriga-se a obter para a segunda um ou mais negócios, conforme as instruções recebidas.“

Ou seja, sempre que um corretor for contratado precisa receber a taxa de corretagem pelos seus serviços. O valor dessa taxa de corretagem é, portanto, incluído no preço anunciado do imóvel. 

Como já foi explicado neste texto, essas taxas não são fixas. 

Por exemplo, de acordo com o Creci, a comissão paga a um corretor deve ser de 6% do valor da transação. Porém, esse número varia de acordo com a transação – se é compra ou se é locação e também de acordo com o estado.

Podemos pegar o exemplo do estado do Rio de Janeiro. Por lá, o Creci definiu a seguinte porcentagem para cada transação: 

Compra e Venda:

Áreas urbanas: 6% sobre o valor da venda

Áreas rurais: 10% sobre o valor da venda

Locação:

Pesquisas, contratos, reconhecimentos de firmas e registros: valor de um aluguel pago pelo locador

Recebimento de aluguel e administração do imóvel locado:

10% do valor do aluguel

Locação por temporada:

Mínimo de 20% do valor pago por temporada

É muito comum, no entanto, que um corretor ganhe menos do que os seus colegas de profissão mais experientes. Mas, com certeza, essa situação melhore conforme o tempo passa.

Mas, para colocarmos essa explicação em números, podemos usar como base as porcentagens acima para criar uma situação hipotética. 

Por exemplo, um corretor autônomo que feche cinco vendas de imóveis de 100 mil reais por mês, ganha 30 mil reais do valor dessas vendas. 

Ao mesmo tempo, um corretor que faz uma única venda de 400 mil no mesmo período, recebe 24 mil reais.

Caso você queira saber mais detalhes sobre a remuneração de um corretor imobiliário, pode clicar aqui e ler o artigo do Blog da Arbo específico sobre esse assunto. 

Gostou do conteúdo sobre quanto ganha um corretor de imóveis? 

Nesse texto você pôde conferir informações importantes sobre a atuação profissional de um corretor de imóveis. Por isso, o Blog da Arbo quer saber: você deseja ingressar nessa ocupação? Se sim, deixe na caixa de comentários abaixo o motivo. 

Se você já começou o processo para se tornar um corretor, nos conte como tem sido essa experiência. Você pode também aproveitar os demais textos no Blog da Arbo sobre esse assunto. 

Além disso, no Blog, você pode ler também informações e dicas sobre vários temas relacionados a imóveis e ao mercado imobiliário.

Aqui você encontra dicas de como decorar um imóvel – o que pode ser útil para você, como corretor, apresentar a seus clientes – e também como ajudar os seus clientes que têm dúvidas em relação ao processo de mudança de casa. Tudo isso pode ser muito útil para a sua nova profissão. 

Afinal, é essencial que você esteja por dentro do mercado imobiliário e todas as suas novidades. Para conhecer um pouco mais sobre a Arbo, acesse nosso site. Por lá, você tem todas as informações sobre a nossa empresa e como atuamos há anos no mercado imobiliário com centenas de clientes no Brasil inteiro. 

Conheça a Central de Ajuda da Arbo, que pode te auxiliar em diversas situações do dia a dia, como a emissão da segunda via de faturas, a troca de titularidade de contas e muito mais.

E, caso você ainda não conheça, visite o Portal da Arbo, que reúne os melhores imóveis nas principais cidades do Brasil.

Postagens relacionadas

imobiliarias-em-Curitiba-PR

5 melhores imobiliarias em Curitiba PR

Está buscando por excelentes imobiliarias em Curitiba PR? Então confira as principais opções para você ! Realizar uma mudança para outro imóvel pode ocasionar um esgotamento físico e emocional. Isso se não houver um planejamento organizado. Pensando nesse tema, reunimos as melhores imobiliarias em Curitiba PR que podem te ajudar nesse momento tão delicado. Confira! […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *