21 de maio de 2022

Vizinho barulhento: saiba como proceder

vizinho barulhento

Ter um vizinho barulhento pode transformar o dia a dia em um caos, né? Descubra o que você pode fazer para lidar com essa situação! 

Festas, som alto, barulho de furadeiras o dia todo e outros incômodos que podem estragar um dia ou até uma noite. Quem nunca passou por isso, não é mesmo? Sem falar que isso prejudica a relação com os moradores em volta,  e causa sérios problemas, ainda mais neste período onde muitas pessoas estão trabalhando de home office. Por isso, é importante saber como lidar com vizinhos barulhentos.

As relações por si só estão sempre caminhando lado a lado com problemas. Mas quando se trata de questões com vizinhos, seja em condomínios ou em bairros residenciais, é com certeza uma situação que atrapalha o sossego, a convivência e até a qualidade de vida, concorda?

Está passando por alguma situação difícil com vizinhos barulhentos que não te deixam dormir ou trabalhar? O primeiro passo é sempre buscar uma alternativa amigável, como um bom papo. Mas caso isso não funcione, você pode recorrer a  outros meios.

Se você quer saber tudo sobre como lidar com esse tipo de problema, confira as dicas que o Blog da Arbo separou para você!

  1. Tente resolver de modo amigável
  2. Como provar que você tem vizinhos barulhentos ?
  3. Mas quais são os seus direitos contra vizinhos barulhentos?
  4. Como de fato funciona a Lei do Silêncio?
  5. Outras dicas de como lidar com os vizinhos barulhentos

1. Tente resolver de modo amigável 

Quem nunca  pensou em  brigar com um vizinho para abaixar o som alto que estava perturbando a paz na vizinhança da sua casa ou condomínio? Pois é, mesmo que o estresse esteja falando alto, esse não é o melhor jeito de lidar com os vizinhos barulhentos, combinado?

Seja uma festa, música alta ou qualquer outro tipo de perturbação, saiba que você não está sozinho nessa situação, e que a lei é mais rígida do que costumam dizer por aí. Lembre-se: são eles que estão infringindo a lei com barulho incômodo em horários que perturbam. Entendeu o ponto?

O problema é que, muitas vezes, os seus vizinhos barulhentos nem sabem que estão  gerando incômodo. Então, antes mesmo de tomar qualquer atitude, procure explicar o problema, colocando as suas razões. Tem coisas que podem ser fáceis de resolver (caso a questão seja o barulho de salto no andar de cima, por exemplo, a vizinha pode instalar um carpete ou até mesmo parar de usar o sapato em casa). 

Outros sons podem exigir um pouco mais de paciência da sua parte, como choro de bebê e latido de cachorro. Neste caso, procure ter compreensão, já que não são sons controláveis. Bom senso de ambos os lados é a chave de tudo. Ok?

Ou seja, para não começar a questão já perdendo a razão e garantir o seu merecido descanso, é preciso aprender, em primeiro lugar, a lidar de modo amigável com a situação, até para ter menos dor de cabeça. 

Vale lembrar que barulho não é só música. Por exemplo: conversas em um tom muito elevado, altas gargalhadas, brigas (desde pequenos bate-bocas até grandes ‘barracos’), uso de microfones e karaokês, reformas, móveis sendo arrastados, latidos de cachorro ou qualquer outro tipo de som de animais de estimação, também são comportamentos fora da lei (e isso está valendo se esses barulhos forem durante o dia também!) – sabia disso?

2. Como provar que você tem vizinhos barulhentos ?

Se a primeira alternativa de ser amigável não deu certo, passe a anotar todas as ocasiões em que você estiver sofrendo com o barulho de seus vizinhos.

Nessas horas, é importante considerar para quem estamos fazendo a denúncia, e quem estamos denunciando. Se a questão é entre condôminos, por exemplo, é preciso lembrar que essas ocorrências costumam ser registradas fora do horário comercial e de forma pontual. Ou seja, nem sempre o vizinho é “pego em flagrante” e acaba sendo a sua palavra contra a dele. 

Para comprovar o seu problema, você pode gravar os ruídos de vizinhos barulhentos, como forma de juntar materiais que contenham provas reais. Registre corretamente a data e o horário e tente demonstrar quão alto está o barulho. Assim, terá base para maior autoridade, caso o problema não seja resolvido.

Se outros vizinhos também tiverem o mesmo problema com a pessoa, peça que eles façam o mesmo. Desse modo, a reclamação terá ainda mais peso, e não corre o risco de parecer uma implicância individual.

Evite  perder a razão e prefira apenas registrar as ocorrências. Do contrário, você pode se tornar alvo de outras reclamações, e isso iria te prejudicar ainda mais!

3. Mas quais são os seus direitos contra  vizinhos barulhentos?

Conforme aponta o artigo 42 da Lei Federal das Contravenções Penais (Lei nº 3.688, de 3 de outubro de 1941), qualquer cidadão brasileiro está sujeito a uma multa ou reclusão, caso venha a perturbar o sossego das outras pessoas com algum tipo de gritaria, brigas, festas, som alto, tocar instrumentos musicais, realizar obras ou mesmo alguma forma de barulho animal (latido de cachorro que não para, gato que não para de miar, etc.).

Quem controla essa “Lei do Silêncio” são os órgãos municipais de cada cidade, e estes possuem controle independente sobre ela. Lembre-se que é através dessa lei que você pode se defender do seu vizinho barulhento. A Lei do Silêncio de cada município possui regras bem claras sobre barulhos e ruídos altos. 

4. Como de fato funciona a Lei do Silêncio?

Geralmente se fala por aí que em residências, bares ou qualquer outro tipo de reuniões, o som está liberado para ser o mais alto possível até por volta das 22h, certo? Mas isso está errado! 

Bom, além do cenário de pandemia que também influencia nesse aspecto de festas, onde muitos decretos municipais proíbem aglomerações com um grande número de pessoas, há também as restrições quanto aos horários.  

Em alguns municípios, a lei é clara ao estabelecer os limites de toda forma de barulho que tira a sua paz no dia a dia devido aos vizinhos barulhentos. Abaixo, veja como funciona de fato a lei do silêncio de um modo mais geral, mas é importante checar como a mesma está regulamentada em sua cidade, ok?

  • Em zonas residenciais, por exemplo, o limite permitido para o seu vizinho barulhento é o equivalente a um choro de bebê, algo não muito grave e isso somente entre 7h e 22h.
  • Das 22h às 7h o limite do barulho é ainda mais rigoroso, e o som de um aspirador de pó, por exemplo, já seria o suficiente para que o vizinho barulhento fosse enquadrado na Lei do Silêncio.
  • Em zonas industriais, o limite durante o dia acaba sendo um pouco maior, mas nem tanto: o equivalente a um escapamento de moto. Já durante a noite, o barulho de um copo quebrado já é o suficiente para que você possa denunciar seu vizinho por barulho alto demais.

Além dessas situações, também vale se atentar sobre as leis específicas para quem mora em condomínios, que todos os moradores devem respeitar sob a penalidade de receberem multas. Então, é algo a se pesquisar para entender de modo mais profundo. Ok?

5. Outras dicas de como lidar com o vizinho barulhento

Já tentou ser amigável, já denunciou a situação, mas o problema não foi resolvido e você não quer se aborrecer mais com isso? Ou é vítima de barulhos que não têm solução a curto prazo, como choro de bebê? Então uma boa alternativa é proteger a sua casa para ficar livre desses sons externos que tanto te atrapalham. 

Uma opção é instalar um drywall, evitando que você escute ruídos aéreos (como gritos e choro) no interior do apartamento. Você pode instalar o drywall –  chapas de gesso acartonado com enchimento de lã – no teto, caso o barulho venha de cima. 

Caso os sons que tanto incomodam venham de fora – do prédio da frente, por exemplo – uma solução é trocar janelas e/ou basculantes por modelos que permitam isolamento acústico e vedação completa. O barulho vem diretamente da sua varanda? Sem problemas: instale uma porta antirruído por dentro. A peça funciona como uma segunda porta instalada de forma sobreposta à que já existe.

Curtiu nossas dicas? Espero que esse post tenha te ajudado a lidar melhor com o vizinho barulhento e que a paz volte a reinar por aí! Aqui na Arbo, sempre temos muita informação para te ajudar no dia a dia, então, cadastre-se na nossa newsletter gratuita e acompanhe nossas novidades toda semana!

Receba nossos novos conteúdos por e-mail!


Cadastre-se na newsletter semanal do Blog da Arbo, com tudo que você quer saber sobre imóveis. É grátis!

Postagens relacionadas

vasos-decorativos

Vasos decorativos: veja como usar os itens

Quer criar ambientes mais charmosos e aconchegantes usando vasos decorativos, mas não sabe em quais estilos apostar ou onde colocá-los? Chegou a hora de conferir algumas dicas para essas peças indispensáveis Poucos objetos são tão versáteis quanto os vasos decorativos. Eles cabem bem em todos os cômodos da casa, podendo adaptar-se à cozinha, sala de […]

luminária-para-sala-de-jantar

Saiba como escolher luminárias para sala de jantar

A iluminação de um ambiente é fundamental para que ele se torne elegante e estiloso. Por isso, trouxemos as melhores dicas para você escolher luminárias para sala de jantar. A decoração de um ambiente como a sala de jantar não precisa apenas se basear nos móveis, nas cores ou até mesmo em papéis de parede. […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *